2015/05/09

Como funciona um sensor de movimento?


Os sensores de movimento são aparelhos que já se tornaram tão comuns na nossa sociedade, que poucos são os que param para pensar: "mas como é que eles funcionam?" Mas há sempre quem seja um pouco mais curioso(a), e por isso vamos espreitar como eles são por dentro e como detectam o movimento à distância.

Um sensor de movimento é uma designação genérica, podendo a aplicar-a mil e um sistemas diferentes de detecção. No entanto, vamos focar-nos naqueles que são mais comuns, e que usam um sensor PIR (Passive Infrared Sensor).

Um sensor PIR é um pequeno detector que tem capacidade para detectar radiação infra-vermelha (calor), e que tem a particularidade de contar com dois (ou mais) detectores no seu interior. Isto permite-lhe ver não só uma única zona, mas sim duas. Porque é isto importante? Com uma única zona não saberíamos se estava realmente a haver movimento, ou se estaríamos perante uma simples mudança de temperatura - com duas, é fácil detectar movimento, pois uma das zonas dirá que está a detectar "algo", enquanto a outra serve de referência (e quando o movimento passar para a outra zona, acontecerá o mesmo, de forma inversa).

Mas, detectar o movimento em apenas duas zonas específicas não é lá muito útil quando se quer detectar movimento numa área mais alargada... e aí surge a segunda componente, mais visível, destes sensores de movimento: as suas lentes fresnel.



As lentes fresnel, que podem surgir em formatos cilíndricos, esféricos, ou outros, permitem focar um campo de visão alargado (sendo afinadas para a distância e ângulo de visão desejado) na área do pequeno sensor PIR.

E é assim que, de uma forma simples e bastante económica, hoje em dia podemos ter coisas como as portas automáticas que se abrem quando nos aproximamos, luzes a acender quando passamos num corredor, ou detectar a entrada de intrusos nas nossas casas combinando-os com sistemas de alarme.

1 comentário:

  1. A propósito desse... "poucos param para pensar"... confesso que sorri... já tínhamos sorte se fosse só sobre sensores de movimento... pensar é cansativo, é melhor repetir frases alheias.
    Até nas escolas é difícil pôr os garotos a pensar, quanto mais os adultos que até nos anúncios lhes dizem, constantemente, o que precisa para ser feliz, saudável, atraente, sedutor... isso de pensar ainda vai acabar por ser considerado um acto criminoso... excepto para um clube restrito de pensadores que passam a pensar pelos outros todos e estes, até vão aceitar muito bem...um verdadeiro descanso ;)

    ResponderEliminar

[pub]