2016/04/08

Análise ao smartwatch NO.1 G3


Os smartwatches são dos produtos que mais curiosidade geram entre os fãs da tecnologia, e hoje vamos ver que tal se comporta um NO.1 G3 Sports Smartwatch.

O smartwatch NO.1 G3




O NO.1 G3 é um smartphone surpreendentemente sóbrio e que se revela bastante confortável de usar. Com um ecrã circular de 1.3" (240x240 pixeis) sem zonas mortas, CPU MTK2502 com 64MB de RAM e 128MB de memória + microSD até 16GB, bluetooth 4.0, sensor de frequência cardíaca e... cartão micro SIM para comunicação independente, se assim o desejarem. Considerando que estamos a falar de um smartwatch que pode ser comprado por cerca de 50 euros, não é nada mau.



A tampa traseira pode ser facilmente removida para dar acesso aos slots dos cartões, mas há que ter cuidado para não puxar a demasiado a bateria, que se encontra soldada mas com ligações que não inspiram grande confiança (mas, considerando que será algo que apenas se fará uma vez (ou com pouca frequência)... não será crítico.


Mais crítico é o sistema de carga, que usa uma ficha magnética. Aquilo que à partida seria uma boa solução acaba por ser mal implementada. A ficha só se agarra numa posição (não é "reversível") e o pior é que o sistema magnético tem uma força tão reduzida que a ficha se separa ao mínimo toque no cabo de carregamento ou no próprio smartwatch.


Em funcionamento



O maior problema destes smartwatches é o facto de não usarem uma plataforma que ofereça integração nativa com Android e iOS, e é isso que também acontece com este NO.1. O interface é idêntico ao que se pode encontrar noutros smartwatches de custo reduzido, mas que aqui surge com uma variante curiosa.


Uma vez que temos um ecrã circular, podemos também optar por um interface que exibe as diversas opções em formato circular. É bonito visualmente, mas acaba por não ser tão prático quanto a apresentação dos icons maiores em formato mais tradicional.


Entre as coisas que temos disponíveis: music player, pedómetro, alerta de inactividade (por exemplo, quando se está sentado muito tempo), monitorização do sono, calculadora, medição de frequência cardíaca, electrogardiograma, temperatura, e sensor de raios UV. Claro que também temos vários estilos de relógio disponível, que podem ser facilmente trocados a qualquer momento com um toque prolongado sobre o relógio.



Quanto à parte do "telefone", podemos usar o NO.1 G3 para fazer chamadas, e também para ler e escrever SMS. No entanto, como se poderá imaginar, escrever mensagens (em metade) de um ecrã de 1.3" não é propriamente a coisa mais agradável do mundo - nem será tarefa aconselhada para ser feita de forma frequente.



Ter em conta que algumas das funcionalidades prometidas por este smartwatch deverão ser encaradas de forma pouco literal. Por exemplo, o sensor de frequência cardíaca tem propensão para dar valores que nada têm a ver com a frequência real; e não inspirará grande confiança constatar que o suposto electrocardiograma apresente valores mesmo quando temos o smartwatch fora do pulso. Da mesma forma, os valores exibidos pela app de temperatura e de detecção dos raios UV serão coisas que deverão ser mais encaradas como "brincadeira" do que como valores factuais. (Mais útil teria sido a inclusão de um sensor de luminosidade para ajustar o brilho do ecrã automaticamente.)


Apreciação final



Mesmo tendo em conta as falhas acima referidas, o NO.1 3G é um smartwatch interessante e o que mais me cativou de todos os smartwatches económicos que tenho experimentado. O relógio é confortável de utilizar e não tem um volume incomodativo, e há que ter em conta que estamos perante um smartwatch que pode levar um cartão microSIM e tornar-se num telemóvel de pulso. O seu design também será do agrado de todos os que gostam do Samsung Gear S2, ao qual este modelo foi buscar a "inspiração".

Embora pessoalmente desse prioridade a ter um smartwatch com Android Wear, que oferecesse uma garantia de actualizações futuras e maior integração com um smartphone Android; este NO.1 3G poderá ser tudo o que é preciso para quem queira um smartwatch que sirva para monitorizar a actividade (e com os sempre úteis alertas quando se passa demasiado tempo sentado) e... para ver as horas. Ponto positivo para a autonomia, que com cartão SIM consegue manter-se durante um dia, e sem ele se pode prolongar por cerca de 3 dias - possibilitando a monitorização do sono, mas sempre com a tal questão de não se poder ter grandes certezas quanto à fiabilidade dos resultados que apresenta.

É por isso mesmo que, mesmo tendo em conta os seus pontos fracos, o seu desempenho geral, a par do seu preço na casa dos 50 euros e da sua autonomia que ainda assim lhe conseguem valer um recomendável:



NO.1 G3 Smartatch
Quente


Prós
  • Preço
  • Design
  • Autonomia

Contras
  • Medição de frequência cardíaca pouco precisa
  • Valores dos "sensores" altamente duvidosos
  • Ficha magnética com pouca força


Galeria de imagens





7 comentários:

  1. Boas,
    No modo "stand-alone" é possivel receber emails ou só chamadas/sms?
    Sincroniza os contactos do telefone de forma a, quando em "stand-alone" identifique os contactos das chamadas e sms? É possivel emparelhar com um auricular bluetooh?
    OBrigado

    ResponderEliminar
  2. Já agora aproveitando que se falou em Android wear.
    Nunca mais houve noticias do Xwatch? Morreu ?
    Tinha bastante espectativa.
    http://abertoatedemadrugada.com/2016/01/bluboo-xwatch-com-android-wear-vai.html

    ResponderEliminar
  3. De facto o Xwatch parece estar adormecido, vou esperimentar um sony smartwatch 3 que encomendei, parece ser uma opçao interessante "android wear" por um preço rasoavel 143 eur.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Tenho um NO.1 G3, adoro ele, porém a tela ficou escura e não aparece imagem. Sei que está ligado pelo barulho de conexão. Não sei o que fazer nem como resetar. Pode me ajudar?

    ResponderEliminar

[pub]