2016/04/28

Taxis fazem nova manifestação anti-Uber - Uber contra-ataca nas redes sociais e com sondagem


A guerra entre taxistas (ou melhor dizendo, cooperativas?) e a Uber está longe de ter um fim à vista, e amanhã teremos mais uma manifestação que, independentemente da posição que se tome, é uma ridícula tentativa de impedir o inevitável.

A situação quase poderia ser considerada cómica, não fosse a propensão para alguns indivíduos acharem que a solução será dar navalhadas em pneus, e agredir motoristas e passageiros. O sector dos táxis em Portugal funciona mal (e porcamente, adicione-se) e penso que para isso bastará fazer três ou quatro viagens, e tirar as conclusões: e isto é algo que pode ser tão facilmente comprovado pela chegada ao aeroporto de Lisboa e pedir para ser levado até à gare do Oriente (por exemplo). No caso de um turista arrisca-se a ir dar uma volta por Sintra e Cascais; no caso de um português, arrisca-se a, no melhor caso, ir o caminho todo a ouvir as lamentações do taxista de que assim não pode ser, de estar tanto tempo na fila para depois fazer uma viagem curta; e no pior caso, a ir ser insultado pelo caminho.

Igualmente ridículo é ver acusações sem qualquer sentido, quer por parte de taxistas quer dos seus simpatizantes.  Acusações que ignoram que as empresas de transportes que prestam o serviço à Uber já existiam antes da chegada da Uber, e por cá operavam há anos(!) sem nunca terem sido acusadas de ser ilegais (precisamente por serem legais!) São empresas de transportes que permitem a qualquer pessoa pedir um carro, para a vir buscar no local X à hora pedida, e para a levar até ao destino. A diferença é que isso era feito via telefone, e com a Uber passou a ser feito com uma app, que também simplifica os pagamentos (e com factura automática, refira-se, em vez dum talão rabiscado que por vezes nem tem valor fiscal) e permite classificar o condutor.

Isto é algo que os táxis poderiam ter feito há muito; e não apenas de forma parcial e tímida, quase experimental, que foi feita nalgumas zonas, e que grande parte das vezes não funcionava como devia. Agora, é algo que têm que fazer à pressa, e para o qual querem que seja o dinheiro dos contribuintes a pagar.




Em resposta, a Uber lança uma contra-ofensiva nas redes sociais contra a manifestação de amanhã, e onde publicou alguns vídeos que fazem o paralelismo com outras actividades, como por exemplo, se o email fosse proibido para proteger o envio das cartas tradicionais pelo correio. Vídeos que poderão ilustrar que, por mais que se tente, será impossível parar a evolução... mas que também é preciso relativizar.

Serviços como a Uber podem ser inevitáveis, mas também é preciso relembrar que não serão "perfeitos". Nesta fase em que interessa captar o mercado a Uber pratica condições vantajosas para os condutores (no nosso caso, para as empresas que prestam estes serviços), mas assim que dominar o mercado passará a poder aplicar as regras "que bem lhe interessar". Isso é algo que tem acontecido noutras cidades onde opera... mas que é algo que é transversal a toda e qualquer empresa capitalista, onde o objectivo é gerar o maior lucro possível.

A questão é que mesmo não sendo perfeita, para o consumidor o que interessa é ter o melhor serviço ao valor que acha mais justo (nem sempre o mais reduzido). E nesta fase, quem experimentar a Uber dificilmente achará que está a ser bem servido pelo serviço de táxis tradicionais - e essa sim, deveria ser a principal preocupação do sector, que mais parece empenhado em caçar licenças de táxis às viúvas para depois as revender a preços inflacionados, do que a oferecer um serviço de qualidade que nem sequer tivesse que se preocupar pela chegada da Uber ao nosso país.



Actualização: A Uber aproveitou o momento estratégico para revelar um estudo que revela que a maioria das pessoas (72%) nas áreas de operação da Uber em Portugal (Lisboa e Porto) quer a Uber a funcionar em Portugal, e apenas 9% se opõem.


[clicar aqui para mostrar o Press Release]

11 comentários:

  1. O mais curioso (ou talvez não) na argumentação dos taxistas é que os motoristas do Uber não pagam as licenças, seguros e taxas que eles pagam. Ao invés de lutarem para que sejam menos taxados lutam para que outros também o sejam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Típica mentalidade tacanha. Nem para eles são bons, só querem é lixar os restantes.
      Esquecem-se é que têm parques, praças, vias e outros privilégios só para eles, enquanto que os Uber não podem usufruir desses "luxos".

      Eliminar
    2. essa é a uncia questão deles, na verdade. Eles aceitariam a vossa ideia se o estado lhes devolvesse o que cobrou pela licença... Como isso nunca vai acontecer, ele "agarram-se" ao que têm

      Eliminar
  2. Os taxistas pagaram logo à cabeça uma coisinha chamada alvará. Os carros dos taxistas têm que ir a inspecções mais exigentes que as de um normal ligeiro. Que eles se deviam modernizar com uma app para os clientes os classificarem? Sim.
    Mas a app já existe já com 3000 taxistas aderentes e chama-se Mytaxi.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma boa parte dos taxistas conduz automóveis que não são ou já não são de luxo, quase todos não se vestem apropriadamente, não optam por uma condução defensiva e têm comportamentos idiotas.

      Eliminar
  3. Que eu tenha conhecimento a operação da Uber em portugal apenas subcontrata empresas de transporte devidamente licenciadas. Não existindo o modelo de 'transforma o teu carro num taxi' nunca entendi porque razão existe tanta contra-informação a este respeito.

    As questões colocadas pelo caro comentador acima são pertinentes: Quanto ao alvará de taxi,pelo que sei este é um titulo transmissível, pelo que tenho dificuldade a entender a sua utilidade para além da cobrança à cabeça de valor; as inspecções em portugal vale o que vale, todos sabemos o estado em que alguns carros circulam no nosso país.

    Seja como for, penso que esta questão traria mais benefícios para todos se abordada numa lógica e evoluir a legislação para um modelo mais justo para todos, para os facilitadores de serviço como a Uber, empresas de transporte privado, taxistas e principalmente os utilizadores dos serviços.

    Existem já bons exemplos de como a situação ficou resolvida de forma a que todos ficassem contentes por essa europa fora.

    ResponderEliminar
  4. Para quem quiser ler um artigo isento.... sem insultos a ninguém !

    http://www.rtp.pt/noticias/economia/taxistas-e-uber-perguntas-e-respostas-para-perceber-o-conflito_n914843

    ResponderEliminar
  5. Individuos inteligentes! Hoje vai tudo andar de Uber, já ontem a Uber enviou um email a avisar o cliente que hoje e para andar de Uber! :D

    ResponderEliminar
  6. e não se esqueçam dos 15 milhões de euros do orçamento de estado para 2016 para a modernização dos taxis/cooperativas (orçamento público para modernizar os privados!!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Toma lá um 190D "modernizado", a lançar mais gases tóxicos que 30 carros modernos...

      Eliminar
  7. Só sei é que o meu voto (com a carteira), vai para a Uber.

    E para as legislativas, sei em quem votar, então...

    ResponderEliminar

[pub]