2016/05/28

MSI cria PC numa mochila para VR móvel

Para libertar os utilizadores de ficarem presos aos seus PCs desktop, a MSI criou um PC numa mochila que permitirá uma maior mobilidade nos mundos VR.

A entrada no mundo da realidade virtual está cheio de constrangimentos técnicos, e por agora é necessário um PC bem potente para permitir a criação de um mundo VR à altura do desejado. Foi isso que levou a MSI a criar um PC numa mochila, e que conta com CPU Core i7 e uma GeForce GTX 980 (provavelmente com direito a upgrade para uma GTX 1080 em breve) - infelizmente não dizem nada quanto a baterias, peso, ou autonomia.

Embora seja inevitável que a evolução tecnológica nos permita seguir no sentido de se terem óculos VR com todo o processamento necessário integrado (já é feito em sistemas como o Hololens da Microsoft, ou recorrendo a smartphones em sistemas como o GearVR ou cardboard da Google) por agora ainda há um longo caminho a percorrer, e andar com um PC às coisas não será (ainda) tão ridículo como certamente passará a ser daqui por meia dúzia de anos.

... Nessa altura poderemos olhar para trás e dizer: "lembras-te de quando se tinha que andar com um PC às costas para se poder andar à vontade num mundo VR?" - esperando que nessa altura já todos tenhamos óculos Magic Leap à frente dos olhos.


Actualização: a HP também anunciou o seu PC-mochila, pelo que... preparem-se, que este formato deverá tornar-se bastante popular nos próximos tempos... antes de se tornar obsoleto e desnecessário. :)

4 comentários:

  1. E porque nao fazer os óculos como receptores e o processamento é deixado a cargo do computador fixo nas tendo a mobilidade dentro do raio de acçao da rede, 2 canais diferentes um para receber as imagens e outro para enviar os nossos movimentos assim suponho que a largura de banda nao seria impeditivo, será que haveria assim tanta latência??

    ResponderEliminar
  2. Pela imagem parece um monstro, já existem bons desktops bem compactos e as baterias também estão a melhorar por isso não vejo muita dificuldade em fazer algo decente e ao mesmo tempo nem o porquê de lançar um produto caro e sem utilidade.

    ResponderEliminar
  3. Tomara que esse fosse o maior problema!
    Infelizmente o Rift deixa muito pouco a desejar. E ainda tenho a constante sensação de que me falta tirar um plástico daqueles usados para proteger as lentes porque a imagem está sempre meio nublada e cheia de reflexos de luz, como se eu estivesse a olhar através de um vidro muito brilhante e cheio de reflexos de luz. Já para não falar que os pixeis são praticamente os mesmos do Gear vr e o Fov é apenas um pouco maior. E a quantidade de jogos existentes é menos de 20 e alguns são caríssimos (2, 4, 30, 40, 50 euros...) e os controladores difíceis de usar para quem como eu nunca tinha usado um Xbox.
    E era só o que me faltava ainda ter de carregar uma mochila móvel!

    Sinceramente não me parece nada boa ideia a menos que fosse tão leve que nem déssemos por ela porque ao fim de algum tempo de uso tornava-se ainda mais desconfortável que os óculos que já se tornam bastante desconfortáveis ao fim de alguns minutos de uso!

    ResponderEliminar

[pub]