2016/07/18

3DMark Time Spy volta a mostrar-nos que as placas gráficas nunca são potentes que cheguem


Há quase 20 anos que o 3DMark tem aterrorizado os computadores, com os seus benchmarks e demos que conseguem arrasar até o hardware mais potente; e agora voltam a fazê-lo com o seu novo Time Spy.

Este novo benchmark/demo Time Spy dá uso a praticamente todas as capacidades do DirectX12, incluindo a capacidade de usar múltiplos GPUs (infelizmente, ainda apenas GPUs iguais e não na versão que poderá dar uso a GPUs diferentes em simultâneos) e todo o tipo de efeitos avançados que - uma vez mais - garantem que até as placas mais recentes revelem as suas fraquezas quando se começa a subir a resolução.

Se estavam desapontados por já conseguirem correr o anterior Fire Strike Ultra em resoluções 4K sem problemas; neste novo benchmark será difícil conseguirem corrê-lo de forma decente em resoluções acima dos 1440p - embora uma das recentes Nvidia GTX 1070 ainda consiga uns respeitáveis 37fps nesta resolução (talvez com duas, ou três, GTX 1080 em SLI se consiga correr isto convenientemente em Ultra HD 4K... se o orçamento permitir tais aventuras.)

Quanto à demo em si, os fãs dos 3DMark irão certamente descobrir muitas referências a muitos dos 3DMark anteriores expostos neste "museu" onde o nosso protagonista parece procurar uma arma noutro período temporal que lhe permita combater uma perigosa criatura que parece estar a aniquilar o seu tempo presente.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]