2016/08/25

Canetas e stylus facilitam a aprendizagem


Não é segredo que ver e ouvir têm um impacto positivo na aprendizagem face a simplesmente "ler algo"; e um novo estudo vem também comprovar que a utilização de uma caneta reforça a aprendizagem quando comparado com o uso de um teclado de computador.

É fácil comprovar como certas coisas são mais fáceis de memorizar que outras. Ora tentem lembrar-se de uma qualquer página de um manual escolar da vossa adolescência... Agora, tentem recordar-se de um qualquer filme que tenham visto na mesma altura; e do qual provavelmente ainda se recordarão de inúmeras cenas e diálogos. Mas, para efeitos de aprendizagem, melhor ainda que ver e ouvir é acompanhar o processo com escrita manual, usando uma caneta.

Foi essa a conclusão de um estudo do Instituto Norueguês de Tecnologia, onde terá ficado demonstrado que tirar apontamentos com uma caneta é mais eficaz para a aprendizagem do que o uso de um teclado de computador. Não só se aplicando à escrita com caneta ou lápis em papel, como também à utilização de um stylus num tablet.

Os especialistas em neuropsicologia Audrey van der Meer e Ruud van der Weel estudaram o comportamento de estudantes durante dois meses, para perceber se o facto de tirar apontamentos usando um teclado ou uma caneta e papel apresentaria diferenças na atividade cerebral, afetando assim a capacidade de aprendizagem do aluno. Para isto pediram a 20 alunos que realizassem três tarefas diferentes - escrever num teclado, escrever à mão e desenhar (com base no jogo ‘Pictionary’) – usando um Surface Pro 4 e uma touca com 250 sensores para detetar sinais avançados do cérebro.

Os resultados comprovaram de forma conclusiva que os estudantes utilizaram diferentes partes do cérebro ao desenhar com a caneta stylus do Surface e ao escrever com o teclado do tablet. O estudo demonstrou que, ao fazer o registo de notas escritas e visuais, estavam ativas áreas mais profundas do cérebro, o que se sabe afetar a aprendizagem de um modo extremamente positivo e eficiente. Perante estas conclusões, o estudo destaca o poder da caneta na aprendizagem, numa altura em que muitos estudantes utilizam exclusivamente os seus computadores portáteis para tirar apontamentos. E os autores do estudo recomendam que os apontamentos à mão voltem a ser introduzidos nas salas de aula.

Algo a ter em conta, tanto para os miúdos como para os graúdos (afinal, nunca se pára de aprender, certo?)

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]