2016/10/28

Google Assistant chega ao IFTTT


O IFTTT há muito que é um verdadeiro poço sem fundo de possibilidades, e agora essas possibilidades aumentam ainda mais com a chegada de um canal dedicado ao novo Google Assistant.

Mais fácil que tentar explicar tudo aquilo que o IFTTT pode fazer, por mais exemplos que se dê (e que vão de coisas tão variadas como criar um registo de quando chegam a casa e apagar as luzes quando se vão deitar, será recomendar que passem por lá e experimentem. É mais que certo que conseguirão em poucos minutos, automatizar uma qualquer tarefa recorrente que façam diariamente (ou ocasionalmente).

E agora, para além de todos os canais já disponíveis, temos também um canal dedicado ao novo Google Assistant.

As funções disponíveis de momento incluem o reconhecimento de uma frase (com a possibilidade de definirmos algumas variantes); reconhecimento de uma frase com um parâmetro numérico; reconhecimento de frases com um parâmetro de texto; e reconhecimento de frase com um campo de texto e numérico simultaneamente.

Cada uma destas acções poderá dar origem a todo o tipo de "consequências" que temos ao dispor no IFTTT, e não será por acaso que neste momento já tenham surgido muitas dezenas de receitas que tiram partido dele para fazer coisas como encontrar o smartphone através de um simples comando de voz, apagar as luzes ou televisão, publicar algo no Facebook, criar apontamentos e agendamentos no calendário, e muito, muito mais. Mas antes que comecem a fazer demasiados planos, há que referir que por agora é algo que só está disponível em inglês e que obriga a ter acesso ao Google Assistant "completo" (nos Pixel e no futuro Google Home) e não apenas via o Google Allo.

2 comentários:

  1. oh pá! Falta aqui o "suspeito do costume" a dizer que isto é treta, que a apple ja tem isto desde 1543, e que o AADM é pago pela google, pelo Daesh e pela congregação dos desempregados que vivem a mais de 2000 metros de altitude :)
    Agora a sério. Isto da "Internet of Things" está a chegar a um ponto incrível. A integração está a evoluir a uma velocidade que é impossível acompanhar. Mas venha ela :)

    ResponderEliminar

[pub]