2016/10/14

Samsung diz haver 96 casos de Note 7 "explosivos" nos EUA


Com a Samsung a ter desistido de recuperar a reputação do Galaxy Note 7 e enquanto se tenta descobrir a real causa do problema vamos também ficando com uma ideia da extensão dos casos de equipamentos que "explodiram", e que nos EUA já chegam quase a 100 incidentes.

Neste momento a Samsung reconhece haverem 96 casos (supostamente já verificados e comprovados) nos EUA de Galaxy Note 7 com aquecimento excessivo, e onde apenas 6 deles serão referentes ao segundo lote de equipamentos com baterias diferentes enviados em substituição dos originais.

Considerando que nos EUA se terão vendido cerca de 1 milhão de unidades, estes quase 100 casos representam %0.0001 %0.01 da produção - demonstrando que mesmo uma pequena percentagem de problemas pode ter consequências desastrosas (e isto assumindo que, com uso continuado, não teríamos um maior número de Galaxy Note 7 a exibir os mesmos problemas).

Embora ainda falte comprovar que o problema esteja realmente relacionado com as baterias, há quem refira que este incidente poderá sinalizar o facto de se estar a chegar ao limite de segurança da capacidade de armazenamento das baterias de lítio. Seja como for, a questão de o problema aparentemente se manter mesmo com baterias de outro fabricante levanta algumas dúvidas sobre se será mesmo essa a origem do problema (inicialmente atribuído a um processo de construção defeituoso nas baterias feitas pela Samsung.)

Se se vier a confirmar que de facto tudo se deve às baterias... dá ainda mais pena ver a Samsung a destruir toda esta série de smartphones apenas por causa de algo que, com maior ou menor dificuldade, poderia ser trocado.

7 comentários:

  1. http://appleinsider.com/articles/16/10/14/samsung-now-projects-53b-hit-on-profits-from-note-7-fires

    ResponderEliminar
  2. Não querendo ser chato, mas sendo, é 0,01% e não 0,0001%. O que é o mesmo que dizer que 1 em cada 10000 telemóveis explodem. O que não é um número assim tão baixo se pensarmos nisso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Correcto! As minhas contas de cabeça meteram zeros a mais...

      Eliminar
  3. Isto é tudo muito triste. Dinheiro que podia ser aplicado em inovação, também forçando a concorrência a inovar. Mas que grande tristeza.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Encara também como "com os erros também se aprende" E vale mais aprenderem com 97 do que com um nr. significativamente superior.

      Eliminar
    2. Encara também como "com os erros também se aprende" E vale mais aprenderem com 97 do que com um nr. significativamente superior.

      Eliminar
  4. Quanto à parte dos 0.01%... pois, porque eles recolheram passados poucos meses (1 ou 2) depois de sair...

    ResponderEliminar

[pub]