2017/01/10

Análise ao Asus Zenfone 3


Os ZenFone da Asus são modelos já bem conhecidos dos nossos leitores (o ZenFone 2 revelou-se um verdadeiro campeão à conta de algumas promoções que o deixaram a preço imbatível), e agora temos o ZenFone 3 - que pelo menos não demorou tanto tempo quanto os seus antecessores a chegar ao nosso país.


O ZenFone 3



O ZenFone 3 é um smartphone com ecrã Full HD de 5.2", Snapdragon 625, 4GB+64GB+microSD até 256GB (slot partilhado com o dual SIM), câmaras de 16MP e 8MP, sensor de impressões digitais na traseira, e bateria de 2650mAh. Também existe uma variante maior, com ecrã de 5.5",  que mantém todas as características, com excepção da bateria que passa para os 3000mAh.




A qualidade de construção nada fica a dever a qualquer topo de gama, sendo que o seu corpo em vidro e metal, dá a sensação de que conseguirá resistir a uma "vida" de uso intensivo... e até mesmo às quedas acidentais (embora se arrisquem a estragar o seu acabamento).

No entanto, há também que referir que embora fosse fácil limpar o ZenFone 3 para que ficasse bem nas fotos, a verdade é que é praticamente impossível mantê-lo livre de visíveis dedadas por todo o lado... (a utilização de uma capa ajudará).


Ponto negativo para os botões touch... que não são iluminados; ausência difícil de justificar num smartphone com preço na casa dos 400 euros. Para isso talvez melhor seria ter poupado o espaço e optado exclusivamente pelos botões on-screen.


As câmaras



A câmara foi um dos pontos em que a Asus não poupou no ZenFone 3, com este smartphone a vir equipado com um sensor de 16MP, lente f/2.0, sistema de focagem laser, estabilização óptica (e digital) e flash dual LED dual tone. A câmara é saliente face ao plano traseiro, mas conta com vidro safira para lhe dar protecção contra todos os riscos.

A Asus promete fotos sempre focadas (em apenas 0.03s) recorrendo a três sistemas de focagem: laser, phase detection e auto-foco contínuo.


Na app da câmara encontramos uma overdose de opções e modos de fotografia, que incluem coisas como leitura de códigos QR, modo nocturno para exposições ultra-longas, modo de super-resolução que promete melhorar a qualidade da imagem, e até um modo que cria GIFs animados.




E efectivamente comprova-se. É praticamente impossível tirar uma foto desfocada com o ZenFone 3, mesmo em situações de baixa luminosidade mais complicadas. Embora - logicamente - tudo fique melhor com a luz do dia, até à noite os resultados são bastante positivos e perfeitamente utilizáveis. Também a câmara frontal se comporta bastante bem, o que será um bónus para os fãs das selfies.


Em funcionamento



Como há muito a Asus nos habituou, também o ZenFone 3 vem equipado com um excelente ecrã com luminosidade e cores que não desapontarão ninguém. Este é um smartphone que não receia ser utilizado mesmo à luz do Sol, e supostamente também é capaz de detectar os toques mesmo quando se utilizam luvas.

Também habitual é a utilização do interface ZenUI em cima do Android. Pessoalmente não desgosto do ZenUI, mas quem não gostar terá sempre a possibilidade de usar outro launcher e resolver o problema. Talvez mais chato seja o facto da Asus continuar a insistir na pré-instalação de uma quantidade de apps que poderão chocar aqueles que gostariam de ver um smartphone "limpo". São quase 10GB de espaço que já vem ocupado, entre sistema e apps, sendo que muitas delas não podem ser desinstaladas pelos utilizadores mesmo que nunca lhes pretendam dar uso.



O Snapdragon 625 não é um campeão de velocidade mas é suficiente para uma utilização fluida de todo o sistema e sem grandes esperas, e como recompensa temos uma autonomia bastante generosa que permitirá manter o smartphone longe do carregador sem causar stress. Com utilização moderada não foi difícil obter 2 dias de autonomia.

O sensor de impressões digitais reage de forma imediata e pode também ser usado para funções adicionais (duplo toque para lançar a câmara, toque contínuo para atender chamadas),


Apreciação final



Não há dúvida de que o ZenFone 3 é um excelente smartphone, e que deixará todos os seus possuidores bastante agradados. O único ponto menos agradável é que o mesmo chega ao nosso país um com um preço de cerca de 400 euros, patamar onde já começamos a encontrar verdadeiros topo-de-gama (o Galaxy S7 já pode ser encontrado com preços abaixo dos 500 euros).

Será este o maior problema do ZenFone 3, sendo que se a Asus tivesse apostado num preço mais competitivo, nem estaríamos aqui a debater esta questão. Ainda assim, é perfeitamente possível justificar a compra o ZenFone 3 por conta de todas as coisas positivas (basicamente, tudo, excepto o preço e o bloatware) - especialmente se, tal como aconteceu nos modelos anteriores, começarem a surgir promoções que ajudem a poupar alguns euros nas carteiras dos portugueses.

Por isso mesmo o ZenFone 3 sai daqui com um:



Asus ZenFone 3
Quente


Prós
  • Qualidade de construção
  • Ecrã
  • Actualização para Android 7.0

Contras
  • Preço
  • Quantidade de apps pré-instaladas

Galeria de imagens






1 comentário:

  1. Ponto negativo para os botões touch... que não são iluminados;

    É das coisas que mais gosto nos ASUS pois estão sempre visíveis e mesmo no escuro, vêem-se.

    ResponderEliminar

[pub]