2017/01/02

Trabalhadores Franceses ganham direito a "desligarem-se" do trabalho fora de horas


As comodidades possibilitadas pela internet podem também transformar-se numa carga de trabalhos adicional, e em França os trabalhadores passam a ter uma lei que lhes permite desligarem-se do trabalho fora das horas de expediente.

Praticamente nenhuma empresa moderna conseguiria sobreviver sem as novas tecnologias e o fácil acesso à informação e comunicação. O problema surge quando se assume que essa facilidade de acesso também se prolonga para lá das horas de trabalho, esperando-se que os trabalhadores estejam sempre prontos para receber e lidar com emails, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

É algo que muitas vezes nem é imposto oficialmente pelas empresas, mas que é implicitamente esperado dos trabalhadores, principalmente nas empresas/países onde a cultura do trabalho vai superando a cultura da vida pessoal/familiar. E agora chegamos ao ponto de, em França, se ter uma lei que permite aos trabalhadores desligarem-se do trabalho, garantindo protecção legal caso pretendam combater potenciais abusos nessa área.

Sinceramente, não se fique com contente com a aprovação de tais leis; ou triste, pelo facto de se ter chegado a este ponto. Seria assim tão difícil perceber que as pessoas são "pessoas", e que para trabalharem bem também é necessário que tenham uma vida equilibrada, que passa pela possibilidade de terem a sua vida "fora do trabalho"?

6 comentários:

  1. O problema principal, a meu ver, é o da "informação que só uma pessoa conhece" (com rigor).
    Por muita partilha de tarefas que se faça, há coisas que só uma pessoa sabe como se faz, bem, o que se combinou com um cliente/fornecedor, qual é histórico das situações.
    Vê-se bem é nas férias. Com a malta toda é uma coisa, estando a faltar um é outra
    Por isso as empresas/organizações oferecem smartphones e assinaturas aos colaboradores - para que estejam sempre contactáveis (obviamente não estão a oferecer nada). Às vezes bastam 30s de contacto com a pessoa certa para dar uma informação/opinião sem ter que fazer nenhum esforço e poupam-se horas a adivinhar o que se deve fazer para resolver a "crise".
    Por mim, o sempre contactável tornou-se um modo de vida. Prefiro assim a fazerem-se disparates sem necessidade.
    Havendo abusos, acho bem que haja uma lei a que se possa recorrer. Agora o direito a "desligar-se", geral e irrestrito, não me parece que deva existir. Quem não manifestar disponibilidade para acudir nas emergências não tem grande futuro (com lei ou sem lei).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Post: "(...) e em França os trabalhadores passam a ter uma lei que lhes permite desligarem-se do trabalho fora das horas de expediente".
      Não estava a ver como, tratando-se de assuntos urgentes e inadiáveis e que precisam da intervenção de uma pessoa em concreto - por isso escrevi o comentário acima.
      Afinal o que se está a falar - em empresas com mais de 50 trabalhadores, é dos mails genéricos, enviados por mailing list, que se podem perfeitamente conhecer no dia seguinte (e não nessa noite), na 2ª Fª (e não durante o fim de semana) ou depois das férias (e não durante).
      Está-se a falar na necessidade de proteger os períodos de descanso e de férias - necessários para que os trabalhadores sejam mais produtivos. Não há aqui nada de radical, há empresas que já fazem isso - por exemplo, desligando os servidores do serviço de email a partir de certas horas ou durante os fins de semana. Mas há quem queira ter acesso a eles - e por isso é melhor que tudo fique escrito em acordos de empresa.

      Eliminar
  2. Concordo com o Aires, nunca terão grande futuro...como escravos.

    ResponderEliminar
  3. Eu nunca me importei de atender o telefone fora do horário de expediente (em "horas de gente", obviamente), desde que, fosse algo realmente importante que não pudesse ser adiado.
    De resto, e pelo menos ao fim de semana, sempre disse, "deixem mensagem, porque o telefone ao fim de semana está em silêncio". Se for grave, ligo de volta, caso contrario, até segunda!

    Isto é algo que vejo com bons olhos, porque hoje, de facto assume-se que estamos contactáveis 24h por dia, o que não é o caso. Agora levado à letra, é algo que certamente não dá futuro a ninguém.

    Bom senso, é o que se pede.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não existe bom senso no mundo do trabalho. Então ligam te do trabalho como sabes se é importante ou não antes de atenderes? o que consideras importante para quem te liga pode não o ser. Estas numa festa tipo sábado á noite e recebes um mail uma sms ou o que seja do trabalho tas bêbado a curtir a tua e ainda tens que falar com pessoas estranhas ao mundo em que estas no momento.

      Eliminar

[pub]