2017/02/07

Vizio vai pagar $2.2 milhões por ter espiado clientes sem consentimento


O caso da recolha e venda de dados sobre os hábitos dos clientes com smart TVs da Vizio chega finalmente ao fim, e a empresa terá apenas que pagar uma quantia simbólica de 2.2 milhões de dólares.

O caso já se arrasta há alguns anos, e diz respeito à forma manifestamente enganadora que a Vizio utilizava para espiar os hábitos dos utilizadores sem que estes soubessem o verdadeiro fim a que se destinavam. Por trás de uma opção chamada "Smart Interactivity", que a marca anunciava como sendo uma função que permitiria ao televisor aprender e sugerir conteúdos com base nos gostos do utilizador, estava na verdade um processo de espionagem que a cada segundo monitorizava o que o utilizador estivesse a ver, criando um registo detalhado de tudo o que via e quando via.

Seria informação já suficientemente sensível para merecer uma explicação mais detalhada para os utilizadores, mas que a Vizio vendia a empresas de publicidade, juntamente com os endereços IPs dos clientes, permitindo um cruzamento de dados que era um verdadeiro tesouro para efeitos de publicidade dirigida. Aliás, a empresa chegou a gabar-se de recolher mais de 100 mil milhões de dados diariamente, dos 10 milhões de clientes com televisores que suportavam esta funcionalidade.

Para piorar, algumas actualizações do sistema activavam automaticamente a função, apresentando apenas uma mensagem inocente no ecrã que desaparecia ao fim de 30 segundos e que em nada dava a indicar o tipo de recolha de dados que estaria a ser feito.

O caso chega ao fim com o pagamento de uns modestos 2.2 milhões de dólares, mas o mais importante é que a decisão não impede que a Vizio continue a recolher e a vender estes dados - apenas a obriga a presentar mensagens mais claras do que está a fazer. Por isso, para quem tiver televisores desta marca, será recomendável desligarem a Smart Interactivity, e ficar atento a funções idênticas em televisores de outras marcas.

1 comentário:

  1. "mais importante é que a decisão não impede que a Vizio continue a recolher e a vender estes dados - apenas a obriga a presentar mensagens mais claras do que está a fazer".

    Tal-e-qual-mente as outras smart TVs. Do que percebi, as smart TV, em geral, recolhem informação sobre o que o utilizador está a ver. A diferença é que a generalidade avisa e dá a opção ao utilizador de autorizar ou não, enquanto a Vizio mascarava essa autorização. Quanto à generalidade vender essa informação a terceiros - como fazia a Vizio e, pelos vistos, pode continuar a fazer, não apurei.

    ResponderEliminar

[pub]