2017/04/22

Scooters eléctricas partilhadas eCooltra chegam a Lisboa


Pegar numa scooter eléctrica usando apenas o smartphone e viajar até ao destino passa a ser possível em Lisboa com o eCooltra Scootersharing - serviço de aluguer de scooters eléctricas ao minuto.

Depois de Barcelona, Lisboa é, a par de Roma e Madrid, uma das primeiras capitais europeias a acolher a eCooltra. O projecto que propõe um novo conceito de mobilidade que complementa o transporte público e substitui o transporte privado.

Com uma frota de 170 scooters eléctricas na capital portuguesa, este serviço permite que um utilizador pegue na scooter em qualquer local em que ela esteja, e a deixe onde quiser, sem qualquer preocupação adicional. Para isso necessitará apenas de ter um smartphone e descarregar a app eCooltra Scootersharing.

O utilizador poderá ver as scooters disponíveis mais perto de si, e escolher aquela que quer reservar, tendo 15 minutos para chegar até ela e iniciar a viagem, ou cancelar a reserva sem qualquer custo adicional. Uma vez encontrada a scooter reservada, o utilizador desbloqueia o assento para levantar o capacete e a mota liga-se através da app (arranque sem chave). Também para desligar a scooter basta apenas utilizar o smartphone. Uma vez terminado o serviço, o custo é debitado automaticamente no cartão de crédito utilizado no registo.

O custo de utilização é de €0,24 por minuto, significando que uma viagem de 15 minutos ficará por €3,60.


9 comentários:

  1. 15 minutos por €3,60, mais vale ir de Uber :)

    ResponderEliminar
  2. Também acho demasiado dispendioso, para uma utilização regular. Se calhar, o objectivo será ser utilizado o serviço apenas por turistas, em vez de se focar também nos residentes locais. Desta forma, a mobilidade sustentável e eficiente nas cidades não terá sucesso. Se fosse mais barato, daria para ser utilizado no dia-a-dia das deslocações para os trabalhos e escolas...

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Tenho uma scooter eléctrica, motociclo, que me permite andar em qualquer estrada. Uso-a nas deslocações para o trabalho, diariamente. Um ano de uso, custou-me 65€ apenas, em electricidade, e poderia até ser menos com um tarifário mais adequado aos carregamentos à noite. Não me faz sentido pagar 3,60€ apenas por 15 minutos de utilização destas scooters de aluguer, ainda que aqui incluam alguma manutenção.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola Ricardo que marca e modelo de scooter tens? Estoy a procura de scooter eletrica mas estou com receio que nao de conta do recado ou que venha a ser mais dispendioso do que uma scooter a gasolina.

      Eliminar
    2. A minha scooter é uma 'Bereco Evo 5.5'. Existem scooters eléctricas mais potentes e robustas que a minha. Ainda assim, dá conta do recado, para a utilização que faço dela no dia-a-dia. Em plano, chega aos 90 kms/h. De autonomia pode chegar aos 85/90 kms, se andar a velocidades inferiores a 50 kms/h, mesmo após dois anos de uso destas baterias.
      Se ficar dispendiosa é a manutenção/revisões, mas isso depende da qualidade dos materiais da moto comprada, e das estradas que se utilizam, por exemplo. Nas de combustão, deverá acontecer o mesmo. Em termos de gasto com o consumo de electricidade, pode variar entre os 0,80€ e os 1,20€ por cada 100 kms, dependendo do uso e da potência da moto, assim como do tarifário de electricidade que se usa. A assistência técnica a questões de electrónica, é que ainda não existe em todas as cidades, infelizmente, mas há sempre pessoal disponível para ajudar.
      Vai ver os diários de bordo de utilizadores de VEs, em fóruns como o Nova Energia (por exemplo), e ficarás com maior conhecimento.

      Eliminar
  5. Já utilizei este serviço. Acho interessante e conveniente, achei foi demasiado dispendioso. De Telheiras ao Rossio demorei 28 minutos (estava um trânsito caótico), resumindo gastei quase 7€. Pode ser interessante para deslocações ocasionais, mas não irei utilizar de forma regular.

    ResponderEliminar
  6. também já usei, para me despachar foi bom.

    ResponderEliminar
  7. Fui utilizador frequente até decidir comprar uma. Penso que o serviço foi pensado para utilização turística e para uso esporádico da população residente. Ainda assim, sempre que usei, a viagem ficou bem mais barata do que ficaria usando Táxi/Uber/Cabify.
    O maior contra deste sistema é ter a motas limitadas a 50km/h, o que faz com que algumas viagens sejam mais demoradas do que de carro. :(

    ResponderEliminar

[pub]