2017/05/06

Kiosks para pirataria de filmes


Numa versão moderna de algo que será familiar a quem viver na geração ZX Spectrum, há empresas que se dedicam a criar kiosks multimédia que permitem descarregar conteúdos pirata para pens USB, no meio de centros comerciais.

Por cá, nos loucos anos 80, comprar um jogo para o Spectrum (ou Commodore Amiga) era sinónimo de ir a uma loja e aguardar que alguém fizesse a cópia no momento. Esses tempos há muito que desapareceram do nosso país, mas há outros países no mundo onde essa prática continua a ser utilizada... em versão modernizada.

Quem visitar um centro comercial na Etiópia arrisca a deparar-se com uma pouco discreta máquina amarela que poderia passar por um kiosk multimédia informativo. Só que aqui, os clientes não têm acesso ao mapa do centro comercial e informação sobre as lojas, mas sim acesso a um vasto catálogo de filmes, músicas e séries de TV que podem descarregar para uma pen USB na hora.

Claro que isso não é feito gratuitamente, e os potenciais compradores terão que desembolsar alguns cêntimos por cada coisa que escolham copiar, havendo também "pacotes" que por uns poucos euros permitem trazer praticamente tudo o que se queira.

... Talvez alguém esteja interessado em reintroduzir este sistema no nosso país? :)


(E agora falando a sério, bem que máquinas deste tipo poderiam existir, de forma legal, se os respectivos responsáveis pelos conteúdos se focassem mais em fazer chegar esses conteúdos aos consumidores em vez de se focarem unicamente na tentativa inconsequente de tentar acabar com a pirataria e nos DRMs cada vez mais restritivos...)

3 comentários:

  1. Tempos saudosos... os "micro clubes" dos anos 80 eram algo surreal aos nossos olhos atualmente... mas se formos a ver muitas outras coisas mudaram (felizmente)... Carlos, pensar que ainda somos do tempo, por exemplo, em que os professores (e até alunos) fumavam dentro das salas de aula, no ISEP :)

    ResponderEliminar
  2. Eu sou dos que só baixam musica e filmes de forma ilegal mas se morasse na Suécia, por exemplo, não o faria porque morando num país verdadeiramente democrático e sem políticos corruptos e oportunistas, etc. eu jamais iria querer fazer nada de ilegal. E devo dizer que me farto de piratear e faço-o com muito gosto e nem sequer se pode dizer que seja por não poder pagar esses produtos. E acho que quem os paga faz mal porque está a contribuir para a manutenção de um sistema totalmente injusto e anti-democrático que só serve os ricos e onde os consumidores são explorados de forma totalmente desumana e indecente! Enfim, essa é a minha opinião!

    ResponderEliminar
  3. Já incluem brinde (vírus, cavalos de Tróia,...) como muitos dos kiosks para revelar fotografias cá em Portugal?

    ResponderEliminar

[pub]