2017/08/09

Disney corta com Netflix para apostar em serviço de streaming próprio


O sonho de se ter um serviço de streaming legal que nos desse acesso a tudo o que se quisesse ver está cada vez mais longe da realidade, e agora é a Disney a anunciar que vai colocar um ponto final na parceria com a Netflix, para apostar num serviço de streaming próprio.

A comodidade de se poder ver o que se deseja, quando se deseja, e de forma legal, é algo que todos os utilizadores de Netflix apreciam... e que só não apreciam mais por, muitas vezes, os conteúdos que desejam ver não estão disponíveis neste serviço. Infelizmente, a situação não parece estar a progredir no sentido de melhorar, mas sim no sentido oposto, com cada vez mais estúdios e grandes operadores a apostarem nos seus próprios serviços de streaming, em vez de disponibilizarem os seus conteúdos para plataformas já existentes.

É precisamente o que acontece com a Disney, que pretende lançar o seu próprio serviço de streaming no final de 2019 e que por isso coloca um ponto final na sua parceria com a Netflix. Infelizmente não é nada inesperado, pois há muito que se vinha a prever jogadas como estas - e que fazem total sentido, ainda mais quando se trata de um "império" como a Disney, com todos os seus conteúdos.

O único problema é que, tal como já referimos, será insustentável que estes gigantes esperem que os consumidores paguem por dezenas de serviços de streaming "avulsos" - algo já demonstrado e comprovado pelos canais de TV tradicionais. Alguns utilizadores poderão pagar por um pack de canais extra, ou alguns canais pagos muito específicos... mas o que as pessoas esperam é a de poderem aceder a tudo mediante o pagamento de uma única mensalidade.

Inevitavelmente, parece-me que todos estes serviços de streaming separados cheguem à conclusão de que ficarão a ganhar em facilitar o acesso legal aos seus conteúdos por serviços agregadores de canais... ou arriscarem-se a que nenhum deles se torne economicamente viável, com a maioria das pessoas a optar por usar programas ou sites que lhes permitam ver tudo o que queiram ver... sem pagarem nada por isso.


Actualização: o caso da Disney torna-se ainda pior, pois quer fazer serviços de streaming diferenciados, para conteúdos como o Star Wars, da MArvel, etc.

1 comentário:

  1. Sim, nada como dispersar a oferta para os piratas ganharem visitantes fiéis.
    Ainda bem que empresas como a Disney e outras do género não percebem isso, porque também só produzem cada vez mais lixo intelectual, se o fundador da Disney visse a porcaria que a Disney anda a produzir hoje em dia com certeza que ficaria transtornado.

    ResponderEliminar

[pub]