2017/10/07

Prémio Nobel da Física vai para as ondas gravitacionais


A gravidade é algo que continua a levantar muitas questões na comunidade científica, e talvez por isso o Prémio Nobel da Física deste ano foi atribuída a três investigadores que detectaram a existência das ondas gravitacionais previstas por Einstein há mais de um século.

O prémio foi atribuído a Rainer Weiss do MIT e Kip Thorne e Barry Barish da Caltech (podem recordar-se de Kip Thorne como sendo o físico que serviu de consultor no Interstellar para dar algum realismo científico ao filme).

A gravidade é a curvatura do espaço-tempo, como é frequentemente demonstrado colocando esferas de peso diferente numa superfície elástica, deformando-a. E não só a deforma como também se pode dar o caso de se criarem ondas gravitacionais que se propagam pelo Universo. O problema é detectar estas ondas geradas por eventos cósmicos violentos, como o choque entre buracos negros, e que quando chegam até nós a milhares de milhões de anos luz de distância, são praticamente indetectáveis...  praticamente, porque se está a falar de uma alteração do espaço tempo na ordem do 1/10000 do diâmetro de um protão - mas sendo algo que este senhores conseguiram fazer.

Mais uma justa homenagem à nossa excelente comunidade científica, que a pouco e pouco lá nos vai permitindo perceber um pouco melhor este vasto Universo em que vivemos.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]