2018/01/10

Vivo mostra o seu smartphone com sensor de impressões digitais no ecrã


Depois de muita espera, entramos finalmente na era em que o reconhecimento das impressões digitais pode ser feita directamente no ecrã, e a Vivo aproveitou o CES 2018 para demonstrar o smartphone que estreia esta tecnologia.

Quando se esperava que fosse uma empresa como a Samsung ou Apple a estrearem esta desejada funcionalidade, eis que fomos surpreendidos com o anúncio de que afinal isso seria feito pela Vivo - uma marca que é pouco conhecida no Ocidente, mas que está entre as maiores a nível mundial.

As primeiras impressões de utilização deste sensor Clear ID da Synaptics são a de que o sistema funciona (mau era!) mas com uma velocidade ligeiramente inferior às dos sensores de impressões digitais convencionais. É algo que se poderá considerar natural, tendo em conta que os esses sensores contam já com alguns anos de evolução, ao ponto de actualmente funcionarem de forma "instantânea" - e sendo essas melhorias que agora fazem notar quando algo não funciona com a mesma velocidade.

Ainda assim, a velocidade de leitura ligeiramente mais lenta não deverá ser problemática, especialmente para os fãs da utilização dos sensores na parte frontal do smartphone - cuja tarefa começou a ser dificultada com o crescimento progressivo dos ecrãs, que agora já não deixam margens para que se pudesse aplicar um botão ou sensor tradicional. Penso que será apenas uma questão de tempo até que mais fabricantes adiram a estes sensores no ecrã; embora continue a dizer que o ideal seria ver smartphones que tivessem sensores tanto no ecrã como na parte traseira... e assim, ficava o assunto resolvido para todos.


... Falta agora saber se a Apple se manterá fiel à sua posição de que o Face ID é o futuro e do adeus definitivo aos sensores de impressões digitais; ou se irá recuar e voltar a integrar um sensor no ecrã na próxima geração de iPhones full-screen.

1 comentário:

  1. Boa tarde Carlos , de facto ser a OPPO a trazer esta tecnologia desenvolvida pela Synaptics acaba provavelmente por não ser entranha, ambas as marcas de topo estão a seguir o seu próprio processo de desenvolvimento desta tecnologia, o que parece é que foi a Synaptics a conseguir primeiro e acabou optar por estrear num construtor que ainda não estivesse a fazer nenhum desenvolvimento nesta área e abrindo também as portas para os One Plus .

    A verdade hoje sobre a tecnologia e sobre os diversos players que estão no mercado tem dado umas lições para quem prevê que determinada tecnologia não esteja acessível a outras marcas durante uns anos ou que eventualmente como a Apple gosta de fazer dizer que com o face id estariam 2 anos a frente de todos, a Apple tem de rever as suas keynotes até porque farta-se de meter água e até os próprios fãs convictos da marca se estão a fartar um pouco desta atitude a humildade não custa nada é só querermos, mas o actual CEO da Apple não é nem um pouco humilde e segue as pisadas do falecido Steve Jobs , só com uma diferença Cook não é Steve nem por sombras nem os tempos são os mesmos e a estratégia já deveria ter mudado há muito .

    ResponderEliminar

[pub]