2010/04/05

iPad iPad iPad

Este foi o fim-de-semana do iPad. Na melhor tradição dos lançamentos "megalómanos" da Apple e após a euforia dos iPhones eis que o seu último "gadget" deixou novamente milhares de pessoas em estado de choque.

O site iFixIt, como não podia deixar de ser, já desmontou completamente um iPad e revela os seus segredos (como o facto de não ter mesmo uma câmara - oh :( - e de ter apenas 256MB de Ram, a mesma quantidade que um iPhone 3GS):

Podemos ver também o motivo de tão longa autonomia, com uma bateria cerca de 5x superior à que encontramos num iPhone. Tal capacidade faz também que carregar o iPad através de uma porta USB normal se torne uma aventura, com muitas portas USB "normais" a serem incapazes de fornecer energia suficiente para o carregarem enquanto em uso (mas carregando-o lentamente com ele "desligado".)

O lançamento do iPad bateu todas as expectativas, com cerca de 600-700 mil unidades vendidas no primeiro dia (quando as previsões apontavam apenas para 200-300 mil unidades - Actualização: oficialmente foram confirmadas: 300 mil unidades vendidas no primeiro dia) sendo mais concorrido que os lançamentos dos iPhone.

Como é lógico, Steve Jobs não podia deixar de ver tudo isto ao vivo, e a sua cara de satisfação diz tudo:


As primeiras análise confirmam o que se esperava: o iPad é uma pequena maravilha que proporciona uma experiência de utilização inigualável no formato "tablet".

Quanto às Apps em si... há algumas que dão obviamente vontade de comprar e que demonstram perfeitamente o potencial que o iPad (e outros Tablets) têm para mudar muito do nosso dia a dia.
Veja-se o caso dos jogos de tabuleiro como o popular Scrabble:




Lancem um "Magic the Gathering" com este conceito, e venderão mais alguns milhões de unidades! :)

O segmento dos comic books tem também bons motivos para se congratular com o iPad - olhem o caso da Marvel:



No entanto, e como era previsível, a maior parte dos compradores tem optado pelas Apps gratuitas. Se pensavam que os clientes iam começar a comprar Apps ao desbarato (e ainda por cima considerando o preço inflaccionado que estas têm no iPad) aqui está a prova de que é mais difícil convencerem alguém a pagar 10 euros por uma App, que 500 euros por um iPad.
Mais "estúpido" ainda é algumas companhias justificarem os preços elevados com argumentos completamente absurdos:
"Os nossos conteúdos incluem interactividade única, incluindo possibilidade de ser visto em modo vertical ou horizonta, ter scroll de navegação, e a possbilidade de mudarem o tamanho das letras"
Duh!?!?! Esta gente é deste planeta?
 
O elevado preço das Apps poderá levar a que fazer o jailbreak do iPad para utilizar Apps piratas se torne ainda mais atractivo do que é no iPhone (onde o preço reduzido das Apps tem ajudado a convencer as pessoas de que... pelo preço de um café... não será mais vantajoso *comprar* a App de que se gosta?)

Claro que há também o aspecto "político"... Até que ponto estaremos dispostos a optar por uma plataforma na qual uma entidade suprema é responsável pela supressão das Apps que achar inapropriadas? E onde essas regras podem variar de um dia para o outro, sem qualquer justificação?
Há quem critique duramente essa posição, mas há também quem prefira ver as coisas de outra forma... Neste tipo de coisas não há "certos" nem "errados"... cada um saberá de si.


Para quem estiver preocupado com o controlo da Apple, resta relembrar que o futuro será cada vez mais "web-based", e há cada vez mais sites optimizados para o iPad. E que, ao utilizarem apenas standards web, aceleram também a adopção de técnicas que beneficiarão todos os browsers.

Como não podia deixar de ser, até o Google tratou de optimizar os seus serviços para o iPad:


E por último... se quiserem um gadget para atirar para o chão ou servir de alvo para o vosso treino de baseball... não é aconselhável utilizarem um iPad.

11 comentários:

  1. podes mudar o user agent do teu browser e ver o gmail como no ipad.

    ResponderEliminar
  2. É ao ver vídeos como este último que questiono seriamente se Charles Darwin estava correcto...

    ResponderEliminar
  3. Também tenho boas impressões com o que tenho lido em relação ao iPad

    Mas duvido muito que seja "aparelho" que compre...

    É e bem como tu disseste, aplicações para mim têm que ser gratuitas e sem restrições de utilização. Até porque nem é o preço do iPad que me podia incomodar :)

    ResponderEliminar
  4. @naovouporai

    o teu nome diz tudo :)

    ResponderEliminar
  5. Bahhh Quero é um tablet Android jeitoso! :)

    ResponderEliminar
  6. @Carlos Martins acho que o teu fanatismo crescente pela Apple pode fazer com que comeces a estragar o teu brilhante trabalho com este blog.
    Dizes que se venderam 600 a 700 mil unidades, afirmas mesmo, quando a tua fonte se baseia em previsões de um analista e ainda por cima dizes que estes valores superam a previsão o que dá à frase uma maior impressão de que estes valores são reais e confirmados.
    O Gizmodo deu a mesma noticia mas só o titulo indica logo que tipo de noticia se trata: "Speculation: 700,000 iPads Were Purchased Today".
    Uma vantagem do teu blog é ser em Português e se há pessoas que têm problemas com linguas estrangeiras será complicado verificarem a tua fonte.
    De resto bom Artigo :)

    ResponderEliminar
  7. @metRo_

    De "estar excitado" com o surgimento de um tablet que finalmente cumpre com as expectativas a "fanatismo" ainda vai um bom bocado. :)
    De outra forma não apontaria as dúvidas que muitos (eu incluido) têm sobre o formato actual da App Store e da sua política de aprovações "conforme lhes interessa."

    Como sempre disse, no "pior dos casos" o surgimento do iPad irá servir para acelerar o desenvolvimento de tablets concorrentes - e quem tiver visão suficiente poderá até superá-lo (tal como o Android o tem feito em relação ao iPhone... que aos pouqinhos lá vai indo e se torna cada vez melhor a cada dia.)

    ResponderEliminar
  8. Eu digo fanatismo porque me passei pelo mesmo por outras marcas e sinto que é o que se passa contigo mesmo que seja inconscientemente pois acabaste por não comentar o que disse que estava errado Visto que até já se sabe que foram vendidos 300000.

    ResponderEliminar
  9. Eu gostei foi a forma como um "analista" mandou um número para o ar a ver se colava e todos o usaram como número oficial. Não foi apenas o Carlos que o usou, a Cnet e muitos outras fontes de informação a nivel internacional usaram este número: http://news.cnet.com/8301-13579_3-20001718-37.html , http://www.techmeme.com/100403/p26#a100403p26 , etc...

    ResponderEliminar

[pub]