2011/09/28

Amazon Kindle Touch e Fire e Browser Silk


A Amazon acaba de revelar a primeira vaga na ofensiva dos tablets, e que tal como se esperava é feita pela porta dos ebook readers e do seu popular Kindle.

Passa a haver um novo Kindle "básico" que fica disponível por uns arrasadores $79, enquanto que o destaque se passa a centrar nos novos Kindle Touch - ebook readers que mantêm o ecrã eInk do Kindle mas adicionam a funcionalidade touchscreen (tecnologia IR, para que não sejam afectadas as qualidades dos ecrãs eInk.)

Considerando que este Kindle Touch custa apenas $99 (ou $149 para a versão 3G), não sei até que ponto se justifica a existência do modelo sem touch por apenas menos $20.


Mas, o tablet mais esperado era o novo Kindle Fire.

Com um preço de $199.99, este é o primeiro tablet que marca a ofensiva "anti-iPad" da Amazon - embora não seja anunciado como tal, muito pelo contrário, é apresentado como um Kindle mais versátil e parte de um serviço perfeitamente integrado da Amazon.

Com ecrã LCD IPS de 7" (multitouch limitado a 2 toques) e 8GB de memória, este tablet dispensa a câmara e até um microfone, e funciona apenas via WiFi (nada de 3G para este). No seu interior, um CPU dual-core que lhe garantirá um desempenho adequado - algo que a Amazon parece ter querido recriar de forma "exemplar", usando uma versão (completamente) modificada do Android do Google.

Actualização: vídeo a mostrar que realmente é bem fluido... [via This is my next]




Infelizmente, o serviço Amazon Prime - que se pensava vir incluido com o Fire - está limitado a apenas um mês de uso gratuito...

Outra novidade é que a de que este tablet usa um browser chamado Silk que utiliza a "cloud" para uma experiência de navegação na web a alta velocidade. Ou seja, parte do trabalho é feito localmente, mas outra parte está a ser processada e optimizada pela "cloud" EC2 da Amazon com todo o seu imenso poder de processamento. (Ou seja... algo do tipo da compressão/optimização "server side" usada pelo Opera Mobile e Sky Fire, mas aqui implementado de forma bastante mais evoluída).




Parece-me uma boa entrada da Amazon neste mercado... vamos lá ver que tal os clientes reagem. Mas com um Kindle Touch abaixo dos $100 - não me parece difícil prever que estes continuem a ser os eBook readers mais populares do mercado! E o Fire a $199, mesmo não tendo acesso ao Android Market directamente (pelo menos até começarem os "hackings/moddings"), parece-me estar com um preço bastante atractivo para quem já for cliente da Amazon ou tiver um Kindle e quiser "algo mais"... (E em breve deverá surgir um tablet "Fire XL" de maiores dimensões.)

6 comentários:

  1. Quando sairá o Fire XL?
    Não sei aguento a espera :P

    ResponderEliminar
  2. O Fire é bastante interessante e tem um preço fantástico. Por esse preço não me importava nada de ter um e acesso a todas as stores da Amazon.

    ResponderEliminar
  3. Concorrente ao iPad? Com ecrã de 7"? Sem 3G? Sem acesso ao Android Market? 8 GB de memória? Sem câmara e sem microfone? Dual touch? Não me parece. Como máximo pode ser um concorrente imbatível aos tablets chineses ou uma versão pobre do Galaxy Tab 7".

    ResponderEliminar
  4. Os arrasadores $79 sobem na Amazon.uk para £89, quase o dobro em euros!

    ResponderEliminar
  5. @Alessandro

    Não subestimes a Amazon. Por algum motivo não lançaram um tablet de 10" neste momento, para que não pudesse ser directamente comparado a um iPad.

    Não foi por não ter câmara que o iPad original deixou de vender bem; e o modelo WiFi-only também vende mais que muito. Por $199 é coisa que não me parece que se torne problemática "não ter". (da mesma forma que usar mais que "2 toques" também é perfeitamente dispensável na prática na grande maioria das situações).

    São concessões para manter o preço a nível aceitável, e naquilo que importa (experiência de utilização), este Fire parece estar muito bem conseguido - com o dual core - e a fluidez a estar ao nível "iPad".

    ResponderEliminar
  6. Alessandro Galvão o tablet da Amazon é competidor do iPad principalmente por causa de duas coisas: fornecimento de conteúdos e o preço.

    Basicamente o uso que as pessoas dão aos tablets é para ler, navegar na Internet, ver séries e um pouco de gaming.
    A Amazon tem uma livraria imensa á disposição para o Kindle (maior que a da Apple) além de filmes e séries além de ter a sua App Store.

    Acredita que é quem está mais próximo de ser competidor da Apple pois controla os seus próprios canais de distribuição de conteúdos para os seus produtos ao contrário dos fabricantes tradicionais.

    ResponderEliminar

[pub]