2011/09/16

Windows 8 - IE sem Plugins, Sync, e Terminologia


A Microsoft tem dado a conhecer bastantes pormenores e a direcção em que quer seguir com o seu Windows 8.




Windows 8 Sync e Reset

Por exemplo, o Windows 8 vai ter opções para manter sincronizado o vosso Windows em todos os dispositivos que o utilizarem - algo que se estiver bem feito irá, para todos os efeitos, tornar quase "nulas" as vantagens de uma plataforma "could-based" como o Chrome OS. Para além disso, terá também uma forma simples de fazer "reset" ao sistema e remover todas as informações pessoais - mais uma coisa que já bem conhecemos das plataformas mobile.


Terminologia Windows 8

Com o Windows 8 chegam também novos termos, alguns que serão de apreensão imediata, outros que necessitarão de um período de aprendizagem e adaptação. Em breve, consideraremos normal coisas como:  App Bar, Charms, Semantic Zoom, Glyphs, Snap, ou então o Connected Standby, um modo de quase "suspensão" mas que permite que o dispositivo continue a estar ligado à internet para receber/enviar informação. (E que poderá potenciar que estes equipamentos funcionem durante dias ou semanas estando "semi-ligados").


Internet Explorer 10 sem Plugins

E se dúvidas houvesse sobre o sentido em que a MS quer evoluir, que o diga a sua intenção de fazer com que o futuro IE10 funcione apenas com base em HTML5 "puro" e sem possibilidade de plugins/extensões adicionais. Isto, quando está a funcionar no novo interface Metro - como seria lógico, não seria possível "bater a porta" a décadas de atropelos aos standards, e quem o desejar/não puder evitar, poderá usar o IE10 com plugins tradicionais... quando usar o modo de desktop tradicional.

Não sei até que ponto será realmente possível ter um IE10 totalmente livre de extensões... até browsers como o Chrome têm que recorrer a plugins "integrados" para coisas como filmes quicktime, flash, pdfs, etc.
Não sei se a MS está agora a dar um passo extra no sentido de tornar tudo isso igualmente desnecessário, e fazer com que a Web passe finalmente a ser aquilo que se espera que seja... Ou, se será apenas uma intenção que na prática não passará da "boa intenção".

Seja como for, o sentido é claro... e é bastante positivo - desde que o W3C também coloque um travão à proliferação de funções proprietárias de cada browser, que fazem com que uma página/WebApp acabe por ter que ser quase especificamente programada para cada browser individualmente...

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]