2013/05/28

Oculus Rift [Primeiras Impressões]


Já chegaram finalmente os Oculus Rift, e embora esteja prometida uma análise mais exaustiva, obviamente que não resisti a tirá-los logo da caixa para ver que tal se comportavam, para poder vir partilhar convosco que tal me pareceram.



Realmente, a experiência de utilização destes Rift não tem nada a ver com todos os anteriores óculos de realidade virtual que experimentei. Pela primeira vez temos um campo visual verdadeiramente imersivo, que é também ajudado pelo facto das actuais placas gráficas facilmente gerarem mais de 60fps na resolução deles (1280x800).

O tempo de resposta aos movimentos não tem atrasos perceptíveis e possibilita uma experiência realmente impressionante (valeu a pena o investimento que eles fizeram no desenvolvimento do seu próprio sensor de movimentos de alta velocidade).

Mas como em tudo, temos pontos positivos... e pontos negativos. Fiquei um pouco desiludido com a qualidade visual da imagem. A resolução de 1280x800 fez-me esperar que fosse melhor, mesmo sabendo que cada olho apenas vê metade dos pixeis (640x800). O problema é que com o ecrã à frente dos olhos - mesmo com o sistema de lentes que faz com que pareça estar focado a maior distância - esses 640x800 pixeis criam uma imagem onde se podem ver com clareza os pixeis individuais, à semelhança do que podem ver caso encostem o nariz ao vosso monitor do computador/portátil.

Com os ecrãs LCD de super alta resolução a tornarem-se cada vez mais populares (smartphones Full HD, portáteis com 2560x1600 e até mais, etc.) é fácil de imaginar que uma versão comercializável dos Oculus Rift lhes possa dar uso. Sem me basear em nenhum pressuposto científico, acho que seria necessário dar um salto substancial, bem para além da resolução FullHD - talvez para os tais 2560x1600. Mas claro que depois também seria necessário ter uma placa gráfica capaz de gerar imagens nessa resolução com framerate suficiente (mais de 60fps). Enfim... coisas que o tempo resolverá, mas até lá temos que lidar com o que é possível fazer-se a custos comportáveis.

Por agora é tudo... daqui por uns tempos cá estará o teste completo. :)

3 comentários:

  1. Viva

    Agora "mergulha" nos mundos reais e depois diz que não consegues sair de lá... ;)

    ResponderEliminar
  2. Uma dúvida que talvez possas esclarecer na review completa. Existirá nestes óculos a fadiga dos olhos por estarem a tentar focar em planos 3d virtuais, quando o plano real é 2d e é constante? (uma das críticas que costumam fazer ao cinema 3d mas milagrosamente nunca vi referida a estes óculos...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso será sempre inevitável. Mas aqui dá-se uma "desculpa", pois estamos perante um mundo imersivo e interactivo que acompanha a tua visão para onde quer que olhes. :)

      Eliminar

[pub]