2013/09/23

Valve anuncia SteamOS para jogos (e não só)


Desde que Gabe Newell fundador da Valve e criador do Steam (plataforma de distribuição de jogos) demonstrou publicamente o seu desagrado pelo Windows 8 e pelo rumo que a MS estava a dar ao seu sistema operativo que depressa se percebeu que haveria apenas uma solução: a criação do seu próprio sistema operativo... que hoje foi finalmente apresentado, o SteamOS.

Baseado em Linux, plataforma à qual o Steam se tem aproximado há algum tempo (e percebendo-se bem porquê), este sistema operativo gratuito irá privilegiar o máximo desempenho para os jogos e para uma utilização "na sala de estar". Está visto que o objectivo é promover o PC enquanto plataforma de jogos com todas as vantagens que tem (hardware actualizável, à medida do orçamento de cada um), e combater a nova geração de consolas (Xbox One e PS4) já desde o início, antes que tenham possibilidade de dominar totalmente o mercado.

A Valve também aposta noutras vertentes, como filmes, música, partilha de jogos, e "streaming" de jogos (se bem que não tenham entrado em pormenores - mas potencialmente sendo uma forma de levar o vasto catálogo de jogos no Steam para Windows que não estão disponíveis em Linux para o SteamOS ao estilo do Gaikai).

Este é o primeiro de três grandes anúncios prometidos para esta semana, sendo que os próximos se esperam que sejam uma SteamBox de referência para o que será esta plataforma de jogos; e no final da semana, a revelação de que estará para chegar o Half-Life 3 (que muito bem fariam em fazer que fosse um exclusivo para o SteamOS para ajudar a promover esta plataforma.)

Actualização: as outras revelações foram as Steam Machines e o Steam Controller.


Pessoalmente, sendo utilizador do Steam acho que esta medida faz todo o sentido... pois da maneira que as coisas estão a seguir no Windows, não seria garantido que daqui por mais alguns anos o Steam se pudesse manter. Por outro lado, começo a recear que este SteamOS possa inspirar outros gigantes a quererem fazer algo idêntico e a "fragmentarem" ainda mais as plataformas de jogos. A EA e Ubisoft (e outros) já optaram por ter também as suas lojas de jogos online ao estilo Steam. Quem nos diz que no futuro não se aventurem também a criar um EA_OS, e um UbisoftOS, e onde cada grande estúdio começa a produzir em exclusivo produtos para a sua própria plataforma? Seria uma enorme dor de cabeça para os consumidores... e espero bem que não seja esse o caminho.

Vamos ver qual será a reacção dos gamers PC a este SteamOS - assim como a dos grandes estúdios (embora considerando a relação que a maioria deles já tem com o Steam, não me pareça que o problema surja por aí). Em jeito de consideração final... qual será o peso que o "gaming" tem no Windows? Isto é, qual será a percentagem de computadores com Windows que apenas usam esse sistema por suportar os jogos que os utilizadores querem, e que se não fosse por isso mudariam para qualquer outro sistema? Também será outra das coisas que este SteamOS poderá vir a revelar.

11 comentários:

  1. Concordo plenamente!
    Neste momento so utilizo windows para máquina de jogos. Visto que o resto deixo ao cargo do padfone 2.

    ResponderEliminar
  2. Mais uma que também só usa Windows por causa dos jogos... mas não me parece que esta seja a solução. Acho que o mais apropiado seria usar um standard não-proprietário que funcionasse em qualquer OS (ficaria a cargo dos devs do OS a forma como este lidaria com o standard, ala web). Assim os games PC poderiam jogar os jogos que querem sem se preocupar (muito) com o OS e os devs não teriam que se preocupar com releases para Win, Mac, Linux em cima das consolas. Acho estranho que se consiga acordar em standards para certas coisas (internet, televisão, telefones, até dvds) mas não para aplicações. Se calhar estou a sonhar mas olha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas isso em parte já existe, mas não para o fim que mencionas.
      O java já faz isso há anos. Em java programas apenas uma vez e o teu programa corre em qualquer sistema desde que tenha o JRE instalado.

      Eliminar
    2. O problema é que o java não tem performance para correr jogos decentes. Acho que o melhor que se fez com java foi o Minecraft... e o MC não é nenhum Skyrim ou GTA.

      É o que acontece quando a tua solução "standard" é criares uma VM proprietária. Ou seja, não é standard nenhum. Só a Oracle é que pode mexer no JRE, pelo que não podem chegar digamos os gajos do Linux e melhorar a maneira como o OS corre Java.

      O Java até é mau para quando queres fazer aplicações "a sério", pelo menos em java puro. Pelo menos serve para aprender POO.

      Eliminar
    3. Este SteamOS tem uma boa base universal... É Linux!

      E quanto a esse standard universal também existe. Chama-se OpenGL.

      Eliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Também sou um apologista do Steam, pela facilidade e preços oferecidos. Não sou daqueles que considera a caixa e o disco do jogo algo fundamental. Mas não vou adoptar uma outra plataforma, sem que isso justifique-se. Já li algures que o problema do Newell com o Win8 é mais com a loja de apps, que pode permitir à Microsoft vender directamente programas e jogos ao usuários finais, retirando ao Steam muitos clientes. Se isso for verdade o Steam está a defender-se de um possível "ataque" da MS.

    ResponderEliminar
  5. "Quem nos diz que no futuro não se aventurem também a criar um EA_OS, e um UbisoftOS, e onde cada grande estúdio começa a produzir em exclusivo produtos para a sua própria plataforma?"

    Mas a Steam não está a fazer isso, simplesmente está a fazer um SO optimizado.Os jogos vão funcionar em qualquer distro linux.

    Já agora respondendo à Alexandra Pedro existe chama-se OpenGL.

    ResponderEliminar
  6. Pessoal, estou bem ciente do openGL a questão aqui é que os devs preferem directX por alguma razão logo não é verdadeiramente um standard (embora perceba o que estão a querer dizer). Era bom que fosse.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "os devs preferem directX por alguma razão"
      sim a maior parte dos consumidores estavam em PC...
      hoje em dia a família openGL já tem mais jogos que o mercado windows pois as plataformas moveis vendem muito mais jogos que os PC's

      Eliminar

[pub]