2014/09/30

Microsoft salta uma versão e passa directamente para o Windows 10


Se dúvidas houvesse sobre o desejo da Microsoft se distanciar o mais possível do Windows 8, isso ficou hoje claramente demonstrado pelo facto do próximo Windows nem sequer ser o Windows 9 mas saltar directamente para o Windows 10. Uma versão com a qual a MS espera regressar ao ciclo de "sucesso" após os "insucessos", como tem acontecido com os vários Windows.

Com o Windows 10 a MS espera unificar toda a sua plataforma para toda uma variedade de dispositivos, dos smartphones e tablets, aos transformáveis, portáteis, computadores de secretária, consolas de jogos e até televisores - das 4" às 80" como eles próprio disseram.

Passando às novidades mais visíveis e que vêm dar resposta à maioria dos utilizadores... temos o Start Menu de regresso.


É, tal como já se tinha antecipado, um Start Menu que combina os elementos clássicos com novos Live Tiles, e penso que servirá para agradar a todos os utilizadores. Talvez para demonstrar que a MS não se esqueceu dos utilizadores mais avançados, até se deram ao trabalho de demonstrar melhoramentos na linha de comandos (que agora passa a aceitar o CTRL+V para colar algo, sem ter que se recorrer ao botão direito do rato) - não é nada de inovador, mas é um gesto simpático. Também estão presentes os tais desktops virtuais que já tinham sido revelados, e que vêm dar maior versatilidade à utilização dos vários programas que se vão acumulando nos ambientes de trabalho.

[fotos via The Verge]

Para os computadores híbridos (tablet+laptop), a MS propõe um interface igualmente híbrido que combina elementos touch e de desktop tradicional.

Por agora este Windows 10 ficará disponível como versão Technical Preview, e com a qual a MS espera conseguir uma mais rápida interacção e ciclo de desenvolvimento do que com os Windows anteriores. Aparentemente estão a usar um sistema que foi criado para auxiliar o desenvolvimento rápido da Xbox, e onde a MS poderá ver quase em "tempo-real" de que forma os beta-testers estão a reagir às alterações feitas, e reagir rapidamente. Este sistema permitirá também que as actualizações de sistema possam ser feitas de forma muito mais modular e de forma quase contínua, sem interrupções para os utilizadores.

O Windows 10 para o público só deverá chegar para o final de 2015 - e esperemos que marque também um ponto final na habitual confusão de versões de Windows, e... embora já seja pedir demais... que chegue ao mercado com um preço que desincentive qualquer tentativa de pirataria.

2 comentários:

[pub]