2014/09/21

Oculus mostra novos Rift "Crescent Bay" e passa o original a open-source


Agora contando com todo o apoio do Facebook, a Oculus VR continua a acelerar o desenvolvimento dos seus Oculus Rift, aproximando-se cada vez mais de uma versão pronta para ser vendida ao público.


Com o seu recente DK2 a chegar às mãos dos developers, contendo um sistema de tracking com câmara para maior precisão e ecrã OLED de alta resolução e baixa latência, o DK2 representa um grande salto evolutivo face aos Rift originais. Mas a Oculus já tem um modelo ainda mais avançado: o "Crescent Bay".

Este sistema ainda é um protótipo, mas vai-se aproximando cada vez mais daquilo que será a versão dos Rift para o público. Nestes Crescent Bay temos um sistema que é mais leve, e que agora inclui LEDs também na parte traseira do suporte da cabeça - que permite que a câmara consiga detectar a posição e movimento mesmo quando estiverem "a olhar para trás". Quem experimentou diz que o sistema funcionou perfeitamente, mesmo virando a cabeça para baixo e sempre sem qualquer sensação de "atraso" entre o movimento e as imagens apresentadas.

Outra melhoria foi no áudio, que passa a ser também completamente 3D e mais imersivo que nunca. A única ausência foi a dos controladores, sendo que se esperava que a Oculus apresentasse a sua própria versão de algo como o STEM da SixSense - mas que aparentemente ainda não estão prontos para serem revelados publicamente.

O que foi revelado publicamente - e transformando em open-source - foi todo o sistema do Oculus Rift original (DK1). Mesmo com algumas peças já sendo obsoletas, será sem dúvida um auxiliar precioso para todos os que se interessam pela realidade virtual.

2 comentários:

  1. Espero que sejam mesmo mais confortáveis que DK2... não consigo aguentar sem segurar o equipamento com a mão porque me faz doer o nariz e a cara. E também acho que a limitação do campo de visão estraga o tal do "efeito de presença"... realmente não sei se me sinto realmente lá... mais parece que estou a olhar por uma janela ou a espreitar por um buraco... Para mim DK2 é só um cheirinho daquilo que desejamos. E a ver pelas fotos, este novo modelo também não me parece assim tão diferente porque o que me incomoda mais em DK2 é ter uma coisa enorme pendurada no nariz. E acho isso muito desconfortável! Espero que seja como os telemóveis e continuem a diminuir de tamanho até ficarem tão leves e pequenos que a gente quase não dê por eles. E ai sim, vai ser realmente interessante!

    ResponderEliminar
  2. Os usuários do Linux começaram a crowdsourced DK2 SDK para Linux:
    http://www.reddit.com/r/oculus/comments/2i7ujy/call_for_help_for_producing_a_linux_sdk/.compact

    ResponderEliminar

[pub]