2015/01/23

Crianças dormem menos com um smartphone ou tablet por perto


O título poderá parecer um pouco polémico, e fazer reacender as questões dos potenciais perigos do WiFi, mas neste caso trata-se de algo bem mais comum e simples: a luminosidade produzida pelos ecrãs dos dispositivos móveis.

Não faltam estudos que comprovam a necessidade dos ciclos de "luz/escuridão" para manter o regular funcionamento dos nossos ciclos internos, e trata-se apenas de relembrar que o mesmo se aplica também às crianças. Crianças que tenham um tablet ou smartphone por perto, que passe a noite a acender-se com notificações ou alertas sonoros, terão obviamente uma noite de sono menos descansada (poderão dar uso ao Priority Mode nos Android, ou "Do Not Disturb" no iOS - embora o mais simples seja garantir que nenhum equipamento está suficiente próximo para causar tais "interferências".)

A verdade é que este problema não se limita apenas a smartphones e tablets, mas sim a todo o tipo de fontes luminosas, como televisores, ou até luzes "de companhia"; e afecta não só os mais pequenos como também os graúdos.

Para além disso, é preciso também ter em conta que há muitos outros factores perturbadores do sono para além da luminosidade, que vão do ruído à alimentação, e até à actividade cerebral (por exemplo, não é recomendado que se aventurem em tarefas demasiado cerebrais antes de se irem deitar - e isso inclui jogos... se bem que há jogos que até dispensam actividade cerebral. ;P)

Seja como for, como nem sempre o "bom senso" é tão generalizado como se pensa, fica a informação para aqueles que se preocuparem em dar as melhores condições para que os mais pequenos possam ter uma noite de descanso o mais agradável possível. Quanto aos graúdos... esses já terão capacidade de decidir por si aquilo em que se aventuram: incluindo dormir num quarto onde um tablet esteja a iluminar as paredes de minuto a minuto com as notificações que vão chegando.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]