2015/10/09

O verdadeiro custo de um iPhone 6S subsidiado


Os iPhone 6S já chegaram a Portugal e embora a nossa recomendação seja a da compra directamente haverá sempre quem se sinta tentado a optar pela compra nos operadores, pelo que se torna interessante ver qual é o real custo dessa opção.

A NOS abriu as portas à meia-noite para ser dos primeiros a vender os novos iPhones, e apresenta-nos os seguintes preços:



  • iPhone 6S de 16GB: 739,90€ (759€ na Apple Store)
  • iPhone 6S de 64GB: 849,90€  (869€ na Apple Store)
  • iPhone 6S Plus 64GB: 979,90€ (979€ na Apple Store)


Não se percebe bem a discrepância nos preços, com os iPhone 6S a terem um desconto de 20€ face aos preços da Apple Store, mas o 6S Plus a não ter direito a igual tratamento - mas com desconto ou sem ele, quem estiver interessado em comprar um iPhone 6S a pronto melhor fará em abdicar desses 20 euros de desconto, uma vez que o "custo" de ter um iPhone bloqueado é bem superior no momento de o querer revender.

O que nos deixa com as opções subsidiadas com fidelização de 24 meses. Nestes casos temos que:

  • iPhone 6S de 16GB: 139,99 € + 24x 25,00 € = 739,99 €
  • iPhone 6S de 64GB: 249,99 € + 24x 25,00 € = 849,00 €

Ou seja na prática, os clientes NOS ficam com acesso a uma linha de financiamento sem juros para o iPhone 6S de 16/64GB; mas não se podendo esquecer que essa benesse vem associada aos custos bem reais de terem que permanecer num pacote NOS Quatro ou NOS Cinco durante 24 meses (modalidades que têm um custo mínimo mensal de 49,99 e 59,99 euros/mês respectivamente). Uma opção que impede, por exemplo, que daqui por seis meses ou um ano decidissem ficar melhor servidos mudando para um operador concorrente ou um tarifário como o Yorn X.

Enfim... é uma questão de fazerem as contas, com os valores reais e também os factores de penalização que decidirem atribuir a estes aspectos das fidelizações e ter smartphones bloqueados a um operador.

6 comentários:

  1. O maior absurdo nisso são os valores que são pedidos na hora do desbloqueio, é que de acordo com aquilo que me informaram a Apple continua a fazer braço de ferro com as instituições europeias e contrariamente ao expresso no decreto de lei dos desbloqueios de telemóveis ao fim de 24 meses no caso de o comprarem a pronto numa operadora, não se livram nunca de pagar pelo menos uma centena de euros. Não vejo de facto a poupança nem percebo até que ponto não será isso mais jogada da Apple ou mesmo das operadoras. Tirando isso acaba por ser um benefício para ambos, quem quer o aparelho consegue comprá-lo com maior facilidade e as operadoras mantém clientes menos sensíveis a oscilações de mercado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que é que a Apple tem a haver com isso??????? Quem estipula o preço do desbloqueio são as operadoras e têm que respeitar o definido pela Lei. Na Lei não há excepções para determinada(s) marca(s).

      Eliminar
    2. Penso que há lei para os casos dos desbloqueios com contrato de fidelização, mas não parece haver para quem compra bloqueado e sem fidelização. Nesse caso os operadores "cobram o que lhes apetece"; o que é uma verdadeira barbaridade considerando que o equipamento está totalmente pago (e é mais um motivo para que não se compre um smartphone bloqueado.)

      Eliminar
    3. Exacto. As pessoas é que não sabem a Lei e depois se queixam. A Lei é só para esses casos, de compra com fidelização.

      Eliminar
  2. Só aconselho alguém a comprar um aparelho bloqueado se tiver muitos pontos e o equipamento sair a um preço muito convidativo. Há tempos adquiri um iPhone na Vodafone por 350 euros e quando fui desbloquear cobraram-me apenas 25 euros, visto o custo mais baixo do aparelho. E mesmo assim porque ainda não tinham passado os 2 anos de fidelização. Se assim não for é preferível comprar um equipamento livre.

    ResponderEliminar
  3. Nem por nada deste mundo comprei, ou comprarei, um aparelho bloqueado a qualquer operadora! Prezo muito a minha liberdade de escolha.

    ResponderEliminar

[pub]