2019/03/27

Automóveis com "caixa negra" obrigatória a partir de 2022


A Comissão Europeia aprovou uma nova série de requisitos de segurança para os automóveis que serão obrigatórios a partir de 2022, incluindo sistemas de alerta em caso de sonolência ou distracção, e também o registo de dados em caso de acidente.

Os acidentes rodoviários continuam a ser um flagelo, e a UE quer acelerar a adopção de sistemas de segurança que os possam evitar. Para isso, à semelhança do que foi feito no passado para os cintos de segurança, ABS e controlo de estabilidade, a partir de 2022 passará a ser obrigatório que todos os veículos incluam uma nova gama de ajudas tecnológicas à condução.

Entre elas encontram-se coisas como sistemas de alerta em caso de sonolência ou distracção do condutor, adaptação inteligente da velocidade, sensores ou câmaras de marcha-atrás, aviso de saída da faixa de rodagem, sistemas de travagem de emergência, ou ainda sistemas que permitam a condutores de autocarros e veículos pesados ver e alertar para o que se passa em redor do veículo. Adicionalmente, todos os dados serão registados numa "caixa negra" para auxiliar as investigações em caso de acidente.

A UE estima que com estes sistemas se possam evitar 25 mil mortes e 140 mil feridos graves ao longo da década seguinte; constituindo mais um importante passo em direcção ao objectivo "Visão Zero" de eliminar completamente as mortes e feridos até 2050.

5 comentários:

  1. Tardou mas lá vem uma lei que já fazia sentido há muitos anos.
    Já há bastante tempo que os carros estão repletos de electrónica e graças a isso e possível saber informação da praticamente tudo.
    Ter essa informação armazenada de forma a poder ser analisada e entender o que aconteceu aquando de um acidente fatal sem testemunhas é mais do que importante sendo hoje em dia tão simples de conseguir.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Os carros até se podem tornar autónomos e autênticos Chaimites tecnológicos, mas enquanto os comportamentos nao mudarem e nºao se considerar a impulsividade de cada pessoa (e como controlá-la), esta obrigatoriedade não vai servir de nada.
    De notar que cada vez mais modelos incorporam estas tecnologias de forma voluntária - tenho um Citroen C3 dos novos e já vem com Limitador de velocidade (manual), AFIL (alerta de transposição de faixa), ajuda ao estacionamento traseiro, etc.

    ResponderEliminar
  4. Acho bem. Considerando o atual grau de evolução tecnológico da eletrónica, acho que é uma mais valia.

    Mas receio que o reverso da medalha possa vir a ser o custo associado à manutenção desses sistemas, o que só poderá encarecer a posse de um automóvel. A ver vamos.

    ResponderEliminar
  5. Tristeza... ponham logo isso directamente pras seguradoras... enfim... ja so falta as bicicletas e nos proprios...

    ResponderEliminar

[pub]