2019/07/31

À conversa com os autores do livro "Introdução à Criptografia" da FCA


A FCA deu-nos a oportunidade de conversar um pouco com alguns dos seus autores, e desta vez os escolhidos para a rubrica "À conversa com" foram Fernando Boavida e Mário Bernardes - autores do livro "Introdução à Criptografia".

1) O que é que vos motivou a escrever um livro introdutório sobre a criptografia para público tão diversificado?

A criptografia é um tema que sempre teve grande importância ao longo da História, com maior acuidade nos dias de hoje. No entanto, é um tema que afugenta muitas pessoas dada a sua complexidade e a falta de elementos de estudo, especialmente em língua portuguesa. Assim, procurámos escrever um livro introdutório, acessível a estudantes e profissionais, aliando, sempre que possível, a descrição teórica com a componente prática.

2) Quais consideram ser os aspectos mais relevantes da criptografia?

O poder da informação e do conhecimento é reconhecido desde a Antiguidade. Todas as formas de criptografia foram desenvolvidas com o intuito de proteger a informação e conhecimento, potenciando e preservando o seu valor. Esta é a essência da criptografia, essência esta que se mantém inalterada ao longo dos tempos. Naturalmente, com o aparecimento dos computadores e o aumento exponencial das suas capacidades, as formas de proteger a informação tiveram que evoluir de modo a resistir a todo o tipo de ataques, mesmo quando esses ataques são realizados por computadores extremamente poderosos. Neste contexto, o aspecto mais relevante da criptografia é o do desenvolvimento de algoritmos capazes de resistir ao crescente poder computacional de potenciais atacantes. Trata-se de uma guerra constante entre ‘defensores’ e ‘atacantes’, que nunca é ganha por nenhuma das partes pois aquilo que é robusto hoje deixará de o ser amanhã. Este livro aborda este aspeto de forma clara, entre muitos outros.

3) Hoje em dia, quais são as principais aplicações dadas à criptografia? Acham que a sociedade actual poderia existir sem ela?

Actualmente, a criptografia encontra-se em todo o lado, de tal forma que passa totalmente despercebida. Utilizamos criptografia todos os dias quando realizamos operações de online banking, quando levantamos dinheiro numa caixa automática, quando utilizamos o telemóvel para efectuar ou receber uma chamada, quando fazemos login para ler o email ou para aceder a uma conta de rede social, ou quando pagamos uma compra com cartão de débito ou de crédito. Para além disso, muitas infraestruturas e serviços críticos (energia, água, telecomunicações, transportes, saúde, educação, forças de segurança, governos, etc.) dependem da criptografia para o seu funcionamento, pois é a única forma de proteger os sistemas computacionais que utilizam de todo o tipo de ataques informáticos. Assim, facilmente se compreende que a sociedade actual não seria possível sem criptografia, tal como não é possível sem sistemas computacionais.

4) Quando se fala em criptografia muitas pessoas pensam automaticamente em criptomoedas. De que forma é que a criptografia evoluiu ao longo dos anos por forma a dar origem a este novo método de pagamento?

As criptomoedas são uma das muitas aplicações da criptografia, assentando em alguns dos seus mecanismos mais conhecidos. Concretamente, no que diz respeito à criptografia, as criptomoedas exploram a utilização de criptografia assimétrica, assinaturas digitais e funções de hash criptográficas, como forma de atingir robustez, confiabilidade e imutabilidade em ambientes distribuídos, nos quais os intervenientes não cooperam necessariamente entre si. Todos estes aspectos são extensamente abordados ao longo do livro.

5) Ultimamente ouve-se falar muito em blockchain. De que forma é que a criptografia e blockchain estão ligadas?

A relação entre criptografia e blockchain é exactamente a mesma que a que existe entre criptografia e criptomoedas. De facto, a tecnologia blockchain foi desenvolvida com o intuito de suportar o funcionamento da primeira criptomoeda, a Bitcoin. No entanto, tal como explicado no livro, esta tecnologia é aplicável a um largo espectro de áreas aplicacionais, especificamente sempre que é necessário manter bases de dados de registo de operações sobre bens ou serviços de valor reconhecido, efectuadas por múltiplas entidades, sem necessidade de confiança mútua, sem recorrer a intermediação de entidades terceiras, e legíveis e/ou pesquisáveis por todos os membros da comunidade. Em resumo, as blockchains podem ser utilizadas para armazenar registos de transacções de bens, registos de contratos, assinaturas e certificados digitais.

6) Que conselhos podem oferecer a quem pretende iniciar-se na criptografia?

Naturalmente, aconselhamos a leitura do livro que explica de forma clara e simples os aspectos essenciais da criptografia, que vão desde os seus fundamentos até aos modernos sistemas criptográficos, incluindo os principais algoritmos, políticas e procedimentos. É um texto bastante abrangente, que assenta em dois pilares: uma componente teórica que privilegia a simplicidade de explicação dos conceitos, e uma componente prática que exemplifica a sua utilização e convida o leitor à exploração e aprofundamento das soluções apresentadas.

7) A quem recomendam a leitura do vosso livro?

O livro é de grande utilidade para todos os que pretendem saber mais sobre este tema tão aliciante e fundamental da sociedade actual. Aqui incluem-se, naturalmente, alunos e docentes de licenciatura e mestrado, em disciplinas na área dos sistemas e redes de computadores, redes de telecomunicações, gestão de sistemas e rede e, naturalmente, segurança. Mas o livro também é adequado aos profissionais com responsabilidades na instalação e administração de sistemas e redes informáticos em empresas de pequena, média e grande dimensão, em operadores de telecomunicações, em fornecedores de serviços IP e na administração pública. Em geral, todos os que utilizam, administram, integram e constroem sistemas informáticos e de comunicações podem beneficiar deste livro, já que ele proporciona as bases para a construção e operação de sistemas mais seguros.

E é tudo, o nosso obrigado pelo tempo dispensado, e ficamos aguardar pelos seus próximos livros. :)


Sobre os autores:
Fernando Boavida - Professor Catedrático da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, docente do Departamento de Engenharia Informática. Possui uma extensa experiência de ensino, investigação e engenharia nas áreas de informática, redes e protocolos de comunicação, planeamento e projecto de redes, redes móveis e redes de sensores.

Mário Bernardes - Ex-Diretor do Serviço de Gestão de Sistemas e Infraestruturas de Informação e Comunicação da Universidade de Coimbra, onde desenvolveu actividade de planeamento, projecto e administração de sistemas e redes informáticos durante largos anos. Docente convidado em cursos de mestrado e pós-graduação na área das tecnologias da informação e comunicação.




Para quem chegou até aqui, temos uma surpresa. Temos para oferecer dois exemplares do livro "Introdução à Criptografia" e para te habilitares a ganhar um deles só tens que participar preenchendo o seguinte formulário:



Passatempo encerrado: os vencedores foram:

João Jesus
Luís Silva

Fica atento aos próximos passatempos.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]