2021/09/08

TikTok ultrapassa YouTube nos EUA

Os executivos responsáveis pelo YouTube devem andar em pânico, pois o TikTok já superou o YouTube também nos EUA, em tempo passado a ver vídeos por utilizador.

Depois de ter conquistado público noutros países, é a vez de também os EUA sucumbirem ao fenómeno TikTok. O YouTube ainda tem maior número de utilizadores activos, mas o TikTok ganha na métrica que é a mais importante: o tempo que cada um passa a ver vídeos. Como as plataformas bem sabem - e muito se esforçam por atingir - o objectivo principal é tentar fazer com que os utilizadores permaneçam no seu serviços durante o máximo de tempo possível, no processo podendo apresentar-lhe mais publicidade, e também recolher mais dados sobre as suas preferências, que servirão para alimentar a publicidade que virá a seguir.

O TikTok, que se dedica a vídeos curtos de consumo imediato, acertou na fórmula perfeita para conquistar o mercado, especialmente nas gerações mais novas. Comparado com os vídeos rápidos do TikTok, passar para um vídeo do YouTube, que frequentemente vem com "palha" só para garantir que tem os 12-15 minutos necessários para poder ter um bloco de publicidade adicional, e onde 90% dos YouTubers se limitam a replicar o que os YouTubers de sucesso fazem, parece um regresso à idade da pedra. Por isso mesmo o YouTube, e Facebook, e outros, muito se têm esforçado por tentar replicar a fórmula do TikTok com formatos curtos, mas de momento ainda nada parece ter conseguido travar a vaga TikTok que vai varrendo o mundo.

Será também preciso dizer que isto não acontece por acaso. O TikTok tem atrás de si todo o poderio de uma das gigantes tecnológicas chinesas, a ByteDance, e tem afinado um algoritmo que inicialmente é extremamente convidativo para novos utilizadores, fazendo-os sentir como "super-estrelas", e que muito ajuda a que se sintam ligados à plataforma. E também pagam fortunas para por lá manter alguns TikTokers de sucesso, que vão acumulando milhões de seguidores. E com tudo isso, passo a passo, agora estão a fazer aquilo que há uns anos ninguém acreditaria ser possível: estão a deixar o YouTube numa situação bastante embaraçosa.

1 comentário:

  1. O problema do Youtube, é excessiva publicidada, patrocinadores, tempo necessário para gravar e editar o video.
    Os videos que o youtube acha que eu gosto são uma miséria, ou seja conteúdo novo é 0.
    Mas o tiktok nao fica atras, conteudo interessante 5%

    ResponderEliminar

[pub]