2022/12/27

A aventura de passar de um iPhone para um novo iPhone

O processo de transferência de um iPhone para um novo iPhone é algo que a Apple tenta simplificar ao máximo, mas nem sempre com o sucesso pretendido.

É fácil ficar maravilhado com as melhorias de um novo smartphone. Mas, com melhorias que vão sendo cada vez mais reduzidas de ano para ano, os benefícios face à "chatice" de ter que passar pelo processo de transferência do smartphone velho para o novo, por vezes começam a gerar dúvidas sobre se se justificam.

Comecemos por separar as águas. Há quem não se preocupe com nada do que tinha antes, e comece com um novo smartphone completamente "em branco" e prossiga alegremente a partir daí. Do outro lado, temos aqueles que esperam conseguir transferir tudo aquilo que tinham, para que possam tirar partido do novo smartphone mas mantendo tudo aquilo que estavam habituados.

Hoje em dia, tanto nos Android como nos iPhones, o processo de configuração de um novo smartphone apresenta invariavelmente uma opção de "transferir" de um smartphone anterior. No caso da Apple esse processo inicia-se até antes de se ter recebido o novo iPhone (no caso de ter sido comprado na loja online da Apple), com uma mensagem a indicar que se façam os "preparativos" para a tal transferência. Esses preparativos até incluem a benesse da Apple disponibilizar espaço iCloud ilimitado (durante tempo limitado) para se poder criar um backup total na iCloud, mesmo que ultrapasse os limites do plano que se tenha. Um gesto simpático.
Depois de ter mantido o iPhone 14 Pro na caixa por algumas semanas - por preguiça de lidar com o processo - lá me decidi que estava na altura. Ligar, pede para aproximar do iPhone anterior, reconhece o antigo, pergunta como quer fazer a transferência, restaurar do backup iCloud e... puf. Lá se foi toda a suposta simplicidade do processo de transferência. O novo iPhone estava com uma versão do iOS (16) anterior à versão mais recente (16.2) dos backups. Em vez de se prontificar a fazer a actualização do sistema, não, opta por deixar o utilizador ali parado, sem qualquer opção para prosseguir (e o mesmo acontece caso se tente a opção de transferência directa de iPhone para iPhone).

A solução, passa por configurar inicialmente o iPhone como novo iPhone, tendo que se passar pelo processo de introduzir as credenciais necessárias - caso contrário nem sequer se tem acesso à App Store nem se pode fazer a actualização - para aplicar a versão mais recente do iOS, para de seguida fazer reset de fábrica, para reiniciar o processo de transferência fácil.

Há que confessar que o processo de restauro via iCloud backup até funciona bastante bem, milhões de vezes melhores aos tempos em que tal tinha que ser feito via backups do iTunes (e que até a activação do iPhone tinha que ser feita via iTunes - que só de lembrar até me dá arrepios!) O problema... é tudo o resto.

Após o restauro do backup ficamos com um iPhone que à primeira vista parece ser idêntico ao que tínhamos anteriormente, com todas as apps nos locais certos (com excepção de quando o novo iOS tem alguma app nova, que faz desalinhar todos os icons e todos os ecrãs seguintes). Mas aqui deparamos-nos com a grande chatice que são as questões de segurança. A maioria das apps que exige segurança acrescida não faz a transferência dos dados, ou sequer das credenciais de acesso. No meu caso, isso obrigou a fazer a exportação / importação de coisas como os códigos 2FA do Google Authenticator (que felizmente já permite essa transferência, depois de anos sem permitir), passando pela reautenticação de coisas como os cartões no Apple Wallet (obriga a ir buscar os cartões físicos para meter o código CVV, seguido de autenticação via SMS).

Curiosamente, ou não fosse o processo uma aventura digna de ser partilhada, durante essa autenticação, um novo ecrã fez desaparecer o ecrã em que era pedido o código SMS, deixando-me o cartão não autenticado e só me deixando pedir nova autenticação através de um telefonema para o banco, que me direccionava para uma linha desligada (serem 2h ou 3h da manhã não ajudaria, é certo) - mas depois lá acabou por se resolver com a habitual táctica "apaga e volta a meter", que já permitiu refazer a autenticação via SMS.

Se a app dos bancos (Millennium) até se portou bem, o MBWay foi nova aventura. Ao tentar fazer o envio do SMS para autenticar, a app encerrava imediatamente. A solução: apagar a app e voltar a instalar, e já correu tudo como era suposto.

Outra situação assustadora era o Apple Watch, emparelhado com o iPhone antigo. Fiquei muito agradado por ver que a Apple não se esqueceu disso, perguntando-me se queria simplesmente transferir o Apple Watch para o novo iPhone. Obviamente, o "it just works" demonstrou já não ser o que era, deixando o Apple Watch encravado e num estado em que nem estava ligado ao iPhone antigo nem ao iPhone novo, embora continuasse a apresentar mensagens e notificações como se estivesse. A solução, uma vez mais, passou por fazer o reset ao relógio, que felizmente também conta com backups iCloud, que acabaram por deixá-lo no estado desejado, mas associado ao novo iPhone.


Há coisas que ficaram pelo caminho. O Signal precisava de um processo de transferência do iPhone antigo para o novo (que seria impossível de fazer no caso de avaria ou roubo, ou no caso de já se ter apagado o antigo). E algumas outras apps provavelmente também terão perdido algumas coisas, mas que não sendo apps de uso frequente, só irei descobrir quando voltar a dar-lhes uso. Curiosamente, o widget inteligente da Apple, que mostra as apps no homescreen com base na utilização e altura do dia, perdeu por completo o histórico, pelo que irá demorar alguns dias (ou semanas) a voltar a apresentar-me as apps correctas.

No final, faltou apenas reemparelhar com algumas coisas, como o Bluetooth do carro, o gateway Zigbee das lâmpadas Hue, e ir repescar meia dúzia de passwords de serviços e apps que ainda não estavam memorizadas no Keychain ou no Google Passwords.

Bem sei que, por motivos de segurança, há coisas que não podem ficar em backups e permitir uma transferência realmente e efectivamente livre de chatices. Mas, há coisas básicas que podiam ser melhoradas no processo da Apple, a começar pela aplicação da actualização do iOS logo no início em caso de necessidade.

3 comentários:

  1. O backup pelo antigo iTunes costuma passar mais informação.

    Tenho o meu a fazer o backup automático quando ligado por wifi por isso nem tenho de me preocupar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, se se fizer com password supostamente passa (alguma) da informação mais privada.

      Eliminar
    2. Em suma, passar para um iPhone novo já não significa que é passar e já está. Significa como no Android novas chatices.

      Eliminar

[pub]