2022/12/21

Oppo promete 5 anos de actualizações

A Oppo prolonga a longevidade dos seus smartphones, com quatro anos de actualizações de sistema e cinco anos de actualizações de segurança.

Seguindo-se à OnePlus, que fez anúncio idêntico há poucas semanas, também a a Oppo passa a englobar os fabricantes que vão disponibilizar pelo menos quatro actualizações do sistema Android, e um ano adicional para actualizações de segurança.

Sabendo-se que com a potência dos smartphones actuais, é bastante provável que o mesmo continue a manter-se suficientemente funcional após três ou quatro anos, muitas vezes o factor que dita o seu abandono é deixarem de receber as imprescindíveis actualizações de segurança, que fazem com que a sua utilização se torne num enorme risco. Idealmente, o suporte oficial deveria manter-se ainda por mais tempo, mas pelo menos temos assistido a uma evolução no bom sentido, e muito melhor do que os dois / três anos de actualizações que eram comuns.

O único ponto que não é tão positivo é que a Oppo diz que isto irá abranger "alguns" modelos topo de gama lançados em 2023, restando esperar que no futuro isso se possa tornar num compromisso para todos os modelos e não apenas só para os mais caros.

1 comentário:

  1. Os smartphones e tablets deveriam garantir actualizações de funcionalidades e segurança durante pelo menos 15 anos.
    Isto era um incentivo a aumentar os preços e reduzir a quantidade de lixo que os fabricantes produzem, e fazer com que as pessoas deitassem menos equipamentos perfeitamente funcionais para o lixo.

    Sim, muita gente gosta de contribuir para esgotar os recursos do planeta trocando de smartphone a cada ano que passa ou coisa parecida, mas nem toda a gente quer ou pode trocar de aparelho a cada ano que passa, e assim garantiam que tais pessoas podem usufruir do seu aparelho, em geral caríssimo por muitos e bons anos.

    Talvez até ir mais longe e proibir empresas estrangeira de fornecer o mercado Europeu, e só empresas sediadas e com fábricas na Europa puderem fornecer o mercado, assim como terem de ter um certo valor monetário entregue a uma entidade europeia de supervisão, para garantir que caso a empresa não cumpra a lei, que os clientes finais são automaticamente indemnizados e a empresa proibida de continuar a vender o que quer que seja no mercado, assim como os responsáveis pela mesma também serem proibidos de voltar a estar presentes no mesmo mercado.

    ResponderEliminar

[pub]