2022/12/14

Que autonomia perdem os carros eléctricos no Inverno?

Os carros eléctricos sofrem com o impacto do frio nas baterias, e isso faz com que alguns modelos possam perder mais de uma centena de quilómetros num cenário de baixas temperaturas.

Um estudo revela o impacto que o frio gélido pode ter na autonomia dos carros eléctricos - e neste caso podemos dizer que temos sorte de viver num país de temperaturas moderadas, onde raramente se atingem temperaturas negativas. Dito isto, ao contrário dos carros com motores a combustão, onde o calor gerado é um efeito do próprio processo de funcionamento - de tal ordem que é preciso todo um complexo sistema de arrefecimento só para que possam funcionar sem se destruírem - nos carros eléctricos até para gerar calor é preciso gastar preciosa energia, o que afecta a sua autonomia.

Comparando as autonomias entre eléctricos a circular a uma temperatura de 20º e -10 a 0ºC, as diferenças são substanciais, podendo chegar a uma redução de 30% na autonomia.
Os carros sem bomba de calor são mais penalizados nestas circunstâncias, já que isso afecta directamente a quantidade de energia utilizada só para manter o habitáculo na temperatura seleccionada; com os carros equipados com bombas de calor a poderem fazer isso de forma mais eficiente.

Algo a ter em consideração para quem morar em regiões onde possa ter que enfrentar temperaturas negativas, ou esteja a planear fazer uma viagem até destinos com neve e gelo.

6 comentários:

  1. Ficando a saber esta informação, é engraçado que o país do mundo com maior adopção de eléctricos( em percentagem de carros vendidos) seja a Noruega.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Provavelmente porque para a utilização média diária da população, é irrelevante. O carro podia até fazer com uma carga 2000 km no verão e só 200 km no inverno (sim eu sei que são valores completamente exagerados, é só para dar um exemplo completamente exagerado e impossível), para a maioria da população quem nem 100 km por dia faz (em Portugal a média se bem me lembro é 50 km), não altera nada.

      Eliminar
    2. Isso que dizes é muito correcto, já vários pontos aqui de "desconversa" no caso dos eléctricos:
      - TODOS os carros em condições extremas (calor ou frio) têm uma autonomia inferior à de referência (temperatura amena), pelo facto de que têm que ter o AC / aquecimento ligado e com chuva o limpa parabrisas

      - um carro eléctrico fica em casa a carregar (pelo menos nos países nórdicos, mais ricos e a maioria das pessoas vive em casas ou apartamentos com garagens boas) pelo que alguns (tesla por exemplo) podes aquecer o carro enquanto está ligado à ficha, e sais sempre com a bateria no máximo. Logo tens sempre uma boa autonomia.

      Eu tenho um diesel "premium" e muitas vezes ao sair tenho que ir à bomba, antes de ir para o trabalho. Com um eléctrico isso nunca aconteceria.

      Eliminar
  2. Eu tenho um Zoe e trabalho na Serra da Estrela! Diria que perco uns 25% de autonomia no inverno.
    Eu até uso a opção de aquecer o carro à distância antes de sair do emprego, mas não como forma de poupar, mas sim para quando entrar nele não estar gelado...
    Para as deslocações diárias, não é preocupante o consumo acrescido.

    Ah, grande parte deste acréscimo não é para aquecer o habitáculo, mas para aquecer as baterias. No Zoe tanto usa o AC para as arrefecer no verão, como a bomba de calor para aquecer no inverno.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem interessante.

      Não domino as diferentes marcas de fabricantes de carros elétricos, por isso é interessante saber como se passam as coisas com um modelo de carro de marca "tradicionalment" conceituada.
      👍

      Eliminar
  3. Interessante quando testarem o Megane que já trás um sistema que usa o calor gerado pelo motor elétrico (que é bastante menor comparado com um a combustão)

    ResponderEliminar

[pub]