2016/01/26

Cineasta faz filme de 10h de uma parede só para chatear comissão de classificações britânica


As comissões de classificação de filmes são uma das mais perversas "máfias" que continuam a ter poderes de censura, e foi para alertar para essa situação que um cineasta britânico decidiu fazer um filme com mais de 10h que se limita a filmar uma parede com tinta a secar.

A British Board of Film Classification (BBFC) já tem mais de um século de existência, e o seu nome original não engana quanto às suas funções: British Board of Film Censors. O seu objectivo era precisamente o de evitar que fossem feitos filmes com conteúdos "indecentes", incluindo não só as óbvias "cenas com homens e mulheres na cama", como também "danças inapropriadas", e "referências indevidas a políticos ou individualidades".

Actualmente o nome tenta disfarçar as suas funções, mas a realidade é que se continua a estar perante uma comissão que tem poderes para cortar as cenas que considera inaceitáveis num filme. E considerando que para um filme ser exibido publicamente no Reino Unido tem que ter a classificação da BBFC (e pagar por isso), já percebe como um pequeno grupo de pessoas fica com o poder de decidir aquilo que acha aceitável que todos os outros vejam ou não.


Este Paint Drying foi um projecto nascido graças ao crowdfunding para chamar a atenção para esta situação, com o objectivo de fazer o filme mais chato possível só para dar trabalho aos "visionadores" da comissão. Todas as contribuições serviam para prolongar a duração do filme (uma vez que a comissão cobra um valor fixo + um valor por cada minuto de duração) e com um valor angariado de £5,936 resultou um filme com 609 minutos, de tinta a secar numa parede. São mais de 10h de filme que agora irá ser classificado pela BBFC, o que implica que dois dos seus membros tenham que ficar 10h a olhar para o ecrã, para no final darem a sua avaliação.

Embora se pudesse imaginar que os "censores" simplesmente saltassem o filme para o fim, a comissão diz que tudo será feito como a regras mandam, vendo o filme integralmente (alguns dos apoiantes até sugeriram inserir alguns frames indecentes distribuídos ao longo das várias horas de filme, para comprovar se o filme ia mesmo ser visto - mas parece que o cineasta não quis estragar a sua obra prima.)


Indirectamente, isto faz também com que o filme "Paint Drying" possa ser um dos mais pirateados de sempre, pois embora seja um filme com mais de 10h de duração... poderão descarregá-lo simplesmente gravando a seguinte imagem para o vosso computador. Depois é só ficarem a olhar para ela durante 609 minutos, e pronto, já viram o filme. :)




P.S. Se se interessam por estes temas, recomendo que vejam o documentário This Film Is Not Yet Rated, que nos mostra o papel da vergonhosa MPAA nos EUA.

4 comentários:

  1. O realizador João César Monteiro, já fez algo semelhante com o filme Branca de Neve (2000). O filme demora mais de 1 hora e não tem imagem, mostrando apenas uma projeção a negro com raros e curtos planos inseridos... https://www.youtube.com/watch?v=83s-OcwMSoc

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, mas aí o objectivo não foi chatear a comissão de "censores", mas sim o "público". ;P :)

      Eliminar
    2. Não, segundo li, a intenção dele foi protestar contra o Ministério da Cultura e a forma como eles subsidiam o cinema português!

      Eliminar
  2. Perdi quase tanto tempo a ver a saga Twilight como iria perder se visse este filme... Não sei porquê, mas parece-me que o plot deste é melhor...

    ResponderEliminar

[pub]