2016/01/01

Star Citizen leva-nos das pupilas ao espaço interespacial


Ainda não foi neste Natal que pudemos jogar uma versão final de Star Citizen (e por este andar, duvido que seja para o próximo), mas os seus criadores lá nos vão mostrando as capacidades do seu motor de jogo, aqui levando-nos numa viagem contínua desde a pupila de um dos personagens até ao espaço.

Em Star Citizen os planetas são gerados matematicamente, com base em parâmetros do tipo de planeta desejado, e recriando todos os elementos - incluindo a atmosfera - de forma fisicamente correcta. É algo que pode parecer um preciosismo, mas considerando que estamos num jogo em que um jogador pode realmente deslocar-se para qualquer lado, da superfície de um planeta ao outro lado da galáxia, é um trabalho extra que garante que todas as coisas terão um aspecto realista de onde quer que se esteja a olhar para elas.

... Embora o jogo ainda esteja longe da fase em que os developers se irão dedicar às optimizações, acho que se pode prever desde já o tipo de máquina que irá ser necessária para correr um jogo destes com a qualidade gráfica na máximo. Felizmente. parece ainda iremos ter mais um ano (ou mais) pela frente para podermos ir poupando dinheiro.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]