2016/02/10

Intel fecha a porta ao overclock nos CPUs Skylake


A Intel tem mantido uma posição pública de que é amiga dos overclockers, mas temos agora um caso que relembra que essa posição só funciona quando isso é feito como ela quer, e que resulta no encerramento de um sistema que permitiria fazer overclock nos CPUs Skylake mais baratos.

O overclock é algo que tem acompanhado a indústria dos PCs desde a sua génese, com o desejo de ter um computador o mais rápido possível, mesmo que isso signifique levar o seu hardware - neste caso o CPU - para além dos limites recomendados pelo fabricante. Nos anos mais recentes isso foi algo que passou a estar bloqueado na maioria dos CPUs da Intel, que para o efeito lançou versões "desbloqueadas" (com a letra K) que serviam para dar a resposta que esse segmento de utilizadores procurava - mas obviamente, estas séries "K" são mais caras que os CPUs normais.

Daí que alguns fabricantes de motherboards se aventurassem a dobrar um pouco as regras, e arranjaram forma de fazer overclock nos CPUs Intel Skylake normais, e com isso atrair as atenções de muitas pessoas (talvez demasiadas, como agora parece ficar demonstrado). Considerando que o processo de fabrico da geração Skylake já está bastante optimizado, o resultado prático era o de que seria possível comprar um CPU Intel Core i3, e provavelmente conseguir acelerá-lo para o dobro, ou mais(!), da sua velocidade original, fazendo com que superasse as prestações de CPUs mais caros.

Mas, parece que a Intel terá optado por colocar um ponto final na "brincadeira", e com a última actualização para as motherboards da Supermicro, a funcionalidade de overclock desaparece misteriosamente e sem qualquer explicação.

Tendo em conta o silêncio da empresa quanto a esta remoção surpresa, que é acompanhada por uma actualização do micro-code dos CPUs (que é fornecido pela Intel), a par do silêncio e reticências que outras marcas de motherboards tinham mantido sobre todo o assunto, tudo aponta para que tal tenha sido resultado de pressão por parte da Intel.

Parece que a Intel é bastante receptiva aos overclocks quando isso é feito por uma percentagem reduzida dos utilizadores que compram os seus CPUs mais caros, mas não quer arriscar a que isso possibilite que "todos" possam comprar um CPU barato e obter prestações idênticas ou superiores às de CPUs mais caros.

Mais uma situação que nos relembra porque motivo precisamos de uma AMD saudável e que nos traga CPUs concorrenciais... Porque quando se têm empresas em posição dominante, o resultado é invariavelmente o de que tudo funciona muito bem... desde que se faça apenas o que querem.

2 comentários:

  1. A AMD já está a inovar e a apertar a NVIDIA, espero que na altura da próxima compra já existam mais opções no mercado.

    ResponderEliminar

[pub]