2016/02/17

NTT simplifica o vídeo 8K partindo-o em 4x 4K


Enquanto o resto do mundo vai aguardando pelos conteúdos em 4K, a NTT já trabalha em tornar mais realista a utilização de vídeo 8K, recorrendo à velha táctica de dividir para conquistar.

Para a maioria dos utilizadores, o salto de Full HD para Ultra HD 4K, e desse para os 8K, são coisas que apenas representam mais pixeis e (espera-se) maior qualidade. No entanto a nível técnico, cada um destes saltos representa uma verdadeira dor de cabeça em múltiplos aspectos - bastará referir que, com vídeo 8K a 60 frames por segundo, estamos a falar de qualquer coisa como mais de 5GB(!) de informação de vídeo RAW por segundo.

Tratar toda esta informação é bastante complicada e actualmente obriga a ter hardware experimental bastante volumoso e dispendioso, situação que levou a NTT a optar por uma abordagem diferente.



Em vez apostar no desenvolvimento de hardware especializado, a NTT optou por dividir a imagem 8K em quatro blocos, fazendo passar cada um deles por um codificador 4K - uma imagem 8K tem 7680x4320 pixeis, quatro vezes mais que os 3860x2160 do Ultra HD 4K. O hardware para processar, codificar e descodificar, vídeo 4K é bastante mais comum e acessível, e faz com que mesmo um sistema destes, combinando quatro módulos (e mais algum processamento adicional para garantir a "colagem" perfeita dos blocos) possa caber dentro uma uma unidade compacta.

Recorrendo-se ao mais eficiente H.265, é possível converter este vídeo 8K num stream de apenas 85Mbps, face aos 160-200Mbps que seriam necessários usando H.264.

Ainda teremos que esperar muito tempo para vermos chegar ao mercado televisores 8K e conteúdos nesta resolução. Mas graças a este passo, isso é algo que fica um pouco mais perto. (Mas por agora, bem que nos daríamos por satisfeito por ver o 4K assumir-se como standard definitivo para os filmes e séries, e já agora... a 60fps s.f.f.! :)

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]