2016/03/15

Android oficializa barra de navegação inferior


A Google oficializou um "novo" elemento de interface que poderá gerar alguma polémica: a barra de navegação aplicada na secção inferior do ecrã.

Para facilitar o trabalho dos developers e designers, a Google disponibiliza um guia com as boas práticas de utilização dos diversos elementos disponíveis, de modo a obter apps cujo comportamento e aspecto visual facilitem a sua utilização por parte dos utilizadores, e que esse comportamento seja consistente em qualquer app que se utilize. E agora, entre esses elementos oficiais e recomendados, passamos a ter a barra de navegação inferior.

Os elementos de interface nos dispositivos mobile têm sofrido constantes mudanças, em grande parte devido também à enorme transformação que o sector tem sofrido nos últimos anos. Interfaces que poderiam ser adequados para smartphones com ecrãs de 3.5" ou 4" podem deixar de o ser para smartphones com 5.5" ou 6" - e será precisamente este aumento do tamanho dos ecrãs que faz com que as barras de navegação estejam a passar da parte superior do ecrã (onde não se consegue chegar facilmente, se se usar uma só mão) para a parte inferior.

A Google descreve detalhadamente onde, quando, e como, se deve utilizar este elemento; e é isso que nos leva à questão da sua polémica.


A Google refere, e bem, que este elemento deverá ser utilizado quando se queira navegar entre 3 a 5 secções diferentes na app. Para usar apenas 2 secções a Google recomenda a utilização de tabs; para mais que 5 secções a Google diz que as coisas começam a ficar demasiado preenchidas e podendo levar a toques acidentais nas secções "ao lado".

Só que a Google parece esquecer-se que esse é um problema que acontecerá desde logo com este elemento, pois o mesmo fica encostado à barra de navegação do próprio sistema Android (nos dispositivos que não têm teclas físicas/touch fora do ecrã). Isto faz com que, segundo as próprias regras de proximidade da Google, haja uma grande probabilidade de, quem pretender tocar numa destas secções, possa inadvertidamente tocar no home button que o atirará para fora da app, ou no back, ou no acesso às apps recentes. Tudo funções que serão intrusivas na utilização normal de uma app.



Claro que isto dependerá da "pontaria" dos utilizadores, e poderá acabar por nem ser um problema; mas é definitivamente algo a ter em conta... e que, como bem sabemos, irá acontecer precisamente no pior momento possível, como nos diz a Lei de Murphy.

Há no entanto uma solução simples, que poderia ser implementada nos dispositivos com touchscreens sensíveis à pressão (e que ao poucos vão começando a surgir nos Android). Bastava fazer com que as teclas de navegação do sistema precisassem de um pouco mais de pressão para serem activadas, minimizando os toques acidentais apenas por lá se ter tocado com a pele. Fica a sugestão para o futuro...

2 comentários:

  1. Penso que tanto o iOS como android tem deteção de toques acidentais (software), não creio ser necessário ter hardware sensível à pressão para isso. Resta é saber se google vai implementar estas novas guidelines nas suas próprias apps coisa que por vezes infelizmente se esquece ;). Como diz o outro falar é fácil fazer é que é pior.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão no que dizes, mas eles desta vez ja implementaram no photos e no plus salvo erro, portanto deve ser para continuar.

      Eliminar

[pub]