2016/03/14

Entidades anti-pirataria vão mudar de táctica na Austrália


Parece que, aos poucos, as entidades de combate à pirataria lá começam a convencer-se que as suas tácticas actuais não têm tido qualquer impacto e, na Austrália, se preparam para mudar de atitude com uma maior aposta na informação e educação.

Em primeiro lugar importará referir que os níveis de pirataria têm decrescido na Austrália (muito provavelmente não por resultado das campanhas anti-pirataria mas sim pela chegada de serviços como o Netflix e outros). No entanto, muitas pessoas continuam descontentes, tal como por cá acontece, devido ao facto de muitos conteúdos tardarem a chegar oficialmente ao território - sendo esse um dos grandes incentivos para procurar conteúdos em fontes não oficiais.

Quanto às entidades anti-pirataria, depois de terem tentado as técnicas repressivas, uma mudança de direcção parece vir acompanhada com uma nova forma de combate, e que passa pela sensibilização e informação - e que, se não for feito em modo de "lavagem cerebral", me parece ser muito mais positiva e eficiente.


Desde logo esta nova abordagem deixa de lado todos aqueles que serão "piratas profissionais", e que por mais formas legais que se lhes fossem disponibilizadas, continuariam a arranjar sempre uma desculpa para sacarem os conteúdos gratuitamente. Restam portanto aqueles (a maior parte?) que recorrem a estes conteúdos, talvez por comodismo, mas que nunca pensaram realmente no impacto que isso tem. Serão estas as pessoas que, numa discussão civilizada sobre o tema, compreenderão que quem produz um filme, música, jogo, etc. também tem contas para pagar, e que se não conseguir ganhar dinheiro com o seu trabalho, deixará de o fazer.

Claro que nem sempre será fácil criar empatia entre algumas entidades (estúdios/artistas que ganham milhões) e o público... mas é preciso relembrar que é essa relação que é preciso criar e cultivar, uma vez que é o público a sua fonte de receita. Tal como a maior parte das pessoas compraria um CD, DVD ou jogo, criado por um seu amigo, por forma a apoiá-lo, é preciso gerar o mesmo tipo de sentimento por tudo o resto.


Num futuro distante talvez a Indústria esteja organizada de forma bem diferente da actual, numa forma que permita aos criadores serem recompensados sem que o público seja tratado antecipadamente como uma multidão de criminosos, mas que para lá se chegue é preciso começar com pequenos passos - e este tipo de mudança de atitude parece-me ser um pequeno grande passo nesse sentido.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]