2016/03/30

Google lança serviço de telefone fixo Fiber Phone


Quando se pensava que nunca mais ouviríamos falar em telefones fixos, eis que a Google anuncia um novo serviço de telefone para adicionar ao seu pacote de fibra: o Fiber Phone.

Depois da internet gigabit e canais de TV HD disponibilizados via Google Fiber, eis que a Google "copia" os operadores tradicionais e passa a oferecer também um serviço de telefone fixo. O Fiber Phone fica disponível mediante o pagamento adicional de $10/mês (é necessário ser cliente Google Fiber) com direito a chamadas ilimitadas e, tal como acontece nos operadores cá em Portugal, é possível usar um qualquer telefone tradicional para fazer as chamadas.

O que não será tão tradicional são os truques que vieram emprestados do Google Voice. As chamadas feitas para este número poderão tocar no telefone fixo quando se está em casa, ou serem redireccionadas para o smartphone quando se está fora de casa; e também se tem a possibilidade de receber as mensagens de voz transcritas automaticamente para texto.

Embora não deixe de ser um pouco estranho ver a Google a apostar numa tecnologia que se considera ultrapassada, é preciso não esquecer que nem todos vivem em áreas onde a cobertura da rede wireless é satisfatória, e onde um telefone "com fio" continua a ser muito mais fiável e desejável. Acima de tudo, ter o telefone fixo deixa de ser um argumento que a concorrência possa usar, pois passa a estar disponível para quem quiser no Google Fiber.

Por cá, bastava-me ter a ligação de 1Gbps up/down e já não pedia mais nada... :)

1 comentário:

  1. O pessoal tem que aprender de uma vez por todas que a Google apenas "oferece" serviços 'interessantes' enquanto os mesmos servirem para aprender hábitos, gostos, perfis, etc. dos respetivos utilizadores de forma a auxiliar na 'alimentação' dos seus sistemas de inteligência artificial, para tentar conseguir obter a mais poderosa máquina à face da Terra.
    Quando já não interessar, desliga-se o serviço.

    Como é que Hollywood lhe chamava mesmo? Ah, é verdade, era Skynet..

    ResponderEliminar

[pub]