2016/03/23

Intel abandona ciclos "tick-tock"


O fim da Lei de Moore já se começa a fazer sentir, e a Intel vem anunciar um novo formato no ciclo de desenvolvimento dos seus CPUs, que passará a ser mais gradual e lento, e abandonando o seu sistema "tick-tock".

Há muito tempo que a Intel nos habitou aos ciclos tick tock, em que num ano (tick) se assistia a um melhoramento nos processos de fabrico dos chips, e no ano seguinte se lançava um chip com melhorias a nível da arquitectura (tock). Era um ciclo que parecia tão regular quanto o de um relógio... até que recentemente esse relógio se começou a atrasar.

A evolução do processo de fabrico começou a atingir valores onde começa a ser extremamente complexo reduzir ainda mais o tamanho dos elementos, sinalizando o fim do tick tock.



Por isso a Intel adapta-se a estas novas realidades e apresenta uma nova linha condutora para o futuro. Em vez dos ciclos tick tock passaremos a ter uma progressão gradual, que após uma melhoria no processo de fabrico receberá melhoramentos a nível da arquitectura, ao qual se seguirão uma ou mais gerações de optimizações.

Quer isto dizer que a evolução dos chips passará a ser ainda mais gradual e lenta (a não ser que surjam arquitecturas revolucionárias), mas que isso acabará por dar mais tempo para que realmente se consiga "espremer" todas as potencialidades de cada ciclo, sem a pressão de que no ano seguinte se passe para um novo processo que obrigaria a voltar à estaca zero.


Não menos interessante será assistir à aproximação que os chips mobile, que ainda estão numa fase de aceleração constante - mas que eventualmente irão chegar também a um patamar onde essa evolução tenha que ser feita de forma mais gradual, como está a acontecer com a Intel.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]