2016/03/13

Realidade Virtual em dose bem real no Porto


Realizou-se ontem o primeiro Portugal Virtual Reality Meetup no Porto, e que foi uma oportunidade única para todos os que se interessam por esta tecnologia poderem ver o que de melhor há neste momento e de ficarem conhecer muitos dos projectos VR que estão a ser feitos no nosso país.

O evento organizado pela Daniela Fontes e Thomas Papa da Mimicry Games no Founders Founders atraiu várias dezenas de convidados, que puderam a assistir a duas apresentações bem distintas de projectos nacionais que já estão a dar uso à realidade virtual: Raquel Canelas & Paulo Dantas, da Studio Station Architecture, criadores do ARCHIVR, falaram das dificuldades que tiveram ao criar o seu sistema VR para visualizações de arquitectura onde arquitectos (e clientes finais) podem "entrar" nas suas casas antes delas existirem, e interactivamente mudar materiais, mobiliário, a sua disposição, etc.; e Júlio Alves, da Riot Films/Vertigo VR, criadores da app Porto VR 360, que permite visitar a capital do Norte como se cá estivessem usando um cardboard VR ou Samsung Gear VR.



Acima de tudo, houve muita discussão e troca de ideias, e claro... espaço para experimentar ao vivo os mais recentes sistemas VR (pois por muito que se fale, nada substitui ver com os próprios olhos. :)


E não faltavam coisas para experimentar: dos Gear VR aos Oculus Rift, pudemos ver muitos dos projectos que tinham sido falados; mas aquele que atraía mais as atenções era o HTC Vive, em parte devido a ser o único que, de origem, vem com um sistema de tracking posicional para espaços de maiores dimensões, e com os controladores que replicam as nossas mãos no espaço virtual (coisa que nos Rift terão que ser comprados à parte... quando ficarem disponíveis). E... posso dizer que fiquei surpreendido.



A nível da qualidade de imagem é certo que ainda há muito por fazer (talvez os ecrãs 4K como os que a Sony usou no seu Xperia Z5 Premium possam ajudar nesse departamento), mas a nível de qualidade do tracking dos nossos movimentos e do "lag", é bom ver que as coisas já estão num ponto muito aceitável. Nos HTC Vive, é certo que andamos com um cabo "pendurado" que por vezes se intromete nos nossos movimentos, mas isso é algo com que rapidamente aprendemos a conviver, e não falta um sistema de paredes virtuais que nos relembra quando estamos a aproximar-nos demasiado de uma parede real (fazendo surgir gradualmente uma grelha que se sobrepõe ao mundo de jogo para nos relembrar que é melhor ter alguma cautela.)


Para o Vive estavam disponíveis diferentes demos interactivas, sendo que todas fizeram sucesso: desde uma que nos deixava "pintar no ar", a outra que nos colocava um cubículo de um escritório e onde se podia interagir com praticamente todos os objectos como se se estivesse realmente lá. Pequenas demos que fizeram todos os presentes sonhar ainda mais com todos os novos horizontes virtuais que a tecnologia VR permite alcançar.


6 comentários:

  1. A qualidade de imagem em HTC VIVE é muito melhor que em Gear vr ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em qualidade de imagem "pura", não diria que é muito melhor. Mas a nível de tempo de resposta e tracking, é (como seria de esperar).

      Seria necessário ir para ecrãs 4K (ou mais) em cada olho... mas depois precisaríamos também de GPUs capazes de fazer "render" 2x 4K a 90fps. Estamos no início... daqui por uns anos lá chegaremos (mas é bom ver que coisas mais acessíveis, como o GearVR, já se portam muitíssimo bem).

      Eliminar
  2. e vender isso em portugal? Mostrar é uma coisa agora ter....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu comprei o Rift (pre-ordem) mas tive que pedir a um amigo em Londres pra receber por mim porque Portugal não está na lista dos países pra onde podem ser enviados. O que é uma merda muito difícil de entender! Ainda por cima cobraram mais de 200 euros em taxas e pelo fato de terem a lata de converterem $499,00 em £499,00! Mas em Portugal é assim temos sempre de ficar pra o fim e se queremos mesmo ter uma coisa temos de pular a cerca e pagar mais caro!

      Eliminar
  3. Alguém me consegue dizer, como posso entrar em contacto com alguém destas empresas para desenvolver uma app/conteudo para VR? Obrigado

    ResponderEliminar

[pub]