2016/05/02

Intel cancela Broxton e SoFIA e abandona smartphones e tablets x86


Depois de todo o esforço já feito para entrar no segmento mobile dominado pelos SoC ARM, a Intel parece dar-se por vencida e anuncia o cancelamento das linhas Broxton e SoFIA que se esperavam para este ano.

Não é segredo que a Intel, gigante incontestável que domina o segmento desktop, foi incapaz de reagir à vaga dos chips ARM que invadiram o mercado com os smartphones e tablets. O esforço foi notável, e tivemos alguns exemplos que pareciam indicar que a aposta estaria a resultar - veja-se o caso do bem sucedido Asus ZenFone 2, com CPU Atom; a par de alguns tablets que iam chegando ao mercado a preços muito apetecíveis.

Mas esse são casos que se tornam insignificantes face ao panorama global, e onde os maiores fabricantes até já apostam em chips próprios, como forma de se diferenciarem dos concorrentes e tentarem obter uma maior integração entre hardware e software, ao estilo do que a Apple faz com os seus produtos. E agora isso é validado pela própria Intel ao cancelar os Broxton e SoFIA (sendo que o SoFIA era a tentativa da Intel se infiltrar no segmento dos chips feitos à medida, disponibilizando os núcleos de processamento de modo a que fossem utilizados para criar SoC específico, tal como acontece com os SoC ARM.)

Vai ser interessante ver como é que os grandes parceiros da Intel - como a Asus - que apoiaram a criação de dispositivos usando os Atom, irão reagir a este abandono; e também como é que este cancelamento irá afectar a estratégia da Intel para os próximos anos. É que abandonar o segmento mobile será uma manobra arriscada que poderá ter consequências muito mais complicadas no futuro (e, como bem sabemos, também é sempre saudável a existência de concorrência num segmento, para promover o desenvolvimento e preços mais atractivos.)

6 comentários:

  1. Atenção, não é uma saída total! Os Apollo Lake vão sair e apenas morrem os SoCs com modem integrado usados em smartphones e alguns tablets.

    ResponderEliminar
  2. E agora como o windows vai correr em phones/tables?! :'(
    Os processadores Atom, nunca realmente competiram com os ARM em plataforma móveis.
    Ao passo que já estão a aparecer os primeiros ARM em portáteis...

    ResponderEliminar
  3. A entrada neste segmento nunca fez grande sentido para a Intel. As margens de lucro neste segmento são mínimas e mais vale continuar a investir em manterem o domínio no mercado de CPUs para servidores onde detêm quase todo o mercado e onde as margens de lucro são generosas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Portanto os biliões de telemóveis/tablets/etç em todo o mundo é "mercado pequeno"...

      Eliminar
    2. Não estou a dizer que é pequeno.

      Estou a dizer é que não tem margens de lucros que façam sentido para a Intel porque tem imensa competição e está num segmento em que os preços dos SoCs são cada vez mais baixos.

      A Intel competia com subsídios (tendo prejuízos muito avultados a cada trimestre por causa disso). Mesmo que gerassem SoCs competitivos ia ter sempre competidores que conseguem competir pelo preço ou que querem manter a independência face á Intel (ex. Apple, Samsung, Qualcomm, Mediatek).

      Existem outros segmentos do mercado de CPUs em que a Intel domina a seu bel-prazer e com margens de lucro maiores. Gastar biliões de dólares para entrar num mercado em que não consegue criar receitas auto-sustentáveis é estúpido. E sem um mega-cliente como Apple ou Samsung ou um dos fabricantes chineses não conseguem sustentabilidade. E adivinha... Apple faz os seus SoCs, Samsung idem, Huwaei idem, os outros fabricantes chineses usam Mediatek ou Qualcomm...

      Eliminar
    3. Atenção que eles desistiram dos SOC x86...
      Eles também tem tecnologia ARM, aliás a tecnologia ARM só precisa de ser licenciada, qualquer fabricante pode fazer processadores ARM se tiverem licença (como se pode ver pelos vários fabricantes que já existem).
      O problema é para os SO que correm em X86 em plataformas móveis...

      Eliminar

[pub]