2016/05/21

Smartphones modulares Ara chegam em 2017


Depois de muitos atrasos e falta de notícias, eis que a Google avança novamente com uma data para a chegada dos smartphones modulares Ara. Se desta vez não houver novos imprevistos, os Ara chegarão em 2017.

Aquilo que começou com um conceito que parecia demasiado fantasioso para se tornar realidade conquistou o interesse da Google, e o Project Ara em breve nos fez sonhar com a possibilidade de smartphones (e não só)  configuráveis em função das necessidades de cada momento, trocando módulos para lhes dar novas câmaras, autonomia alargada, colunas de som, e até ecrãs secundários.

Só que concretizar essa ideia foi mais complicado do que se imaginava, com os atrasos a acumularem-se e as datas anunciadas a caírem no esquecimento... até agora. A Google volta finalmente a dar-nos notícias deste projecto, e diz que os primeiros Ara chegarão ao mercado em 2017, com uma versão para developers a ficar disponível ainda este ano.

Vamos lá ver se desta vez será mesmo para cumprir... e se o Ara será mesmo o percursor dos smartphones e demais gadgets no futuro (assumindo que o conceito modular pega, e se avança para um futuro onde seja possível andar a trocar módulos entre todo o tipo de equipamentos, de smartphones e tablets a electrodomésticos, televisores, automóveis, smartwatches e tudo o mais).


4 comentários:

  1. Estes novos protótipos, apesar de mais elegantes e finos, não vão permitir a troca do ecrã, CPU, ou pior ainda, da bateria, pelos vistos.

    Pergunto-me se realmente vai fazer diferença na vida útil do aparelho.

    ResponderEliminar
  2. Este produto não tem interesse absolutamente nenhum!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso vai depender das opções que os módulos tiverem, visto em termos gerais concordo contigo, mas imagina que a bose ou jbl fazem um sistema de som dedicado de alta fidelidade, ou a leica e a carl zeiss fazem uma lente de 50 megapix, isso hoje ainda nao e possível implementar devido ao limite físico dos telefones. Mas se não ligas nada a essas coisas ainda podes optar por uma bateria de 10.000 mla e teres uma autonomia de uma semana 😉 é este o conseito 😃

      Eliminar
    2. Isso vai depender das opções que os módulos tiverem, visto em termos gerais concordo contigo, mas imagina que a bose ou jbl fazem um sistema de som dedicado de alta fidelidade, ou a leica e a carl zeiss fazem uma lente de 50 megapix, isso hoje ainda nao e possível implementar devido ao limite físico dos telefones. Mas se não ligas nada a essas coisas ainda podes optar por uma bateria de 10.000 mla e teres uma autonomia de uma semana 😉 é este o conseito 😃

      Eliminar

[pub]