2016/05/10

Tesla vai cobrar para desbloquear capacidade da bateria


Cobrar para desbloquear funcionalidades de software é prática corrente na indústria automóvel, mas a Tesla prepara-se para ampliar isso à utilização do próprio hardware, cobrando para desbloquear a capacidade total da bateria que já está instalada no veículo.

Já terão sido muitas as pessoas que ficaram indignadas por pagar centenas ou milhares de euros para adicionar um extra ao seu automóvel que corresponde a uma simples activação de uma opção num menu escondido de configuração; mas nos Tesla isso vai passar a ser cada vez mais comum.

Actualmente, os Tesla já vêm equipados com o hardware necessário para o modo de autopiloto em que conduz sozinho nas vias rápidas, mas para o fazer é necessário pagar milhares de dólares para activar essa opção. Mas o caso poderá começar a causar mais preocupações quando se descobre que também vai ser aplicado à própria bateria. O Model S 70 vem com uma bateria de 70kWh e uma autonomia anunciada de 386km, mas quem pagar $3000 poderá desbloquear o modo de 75kWh que prolonga essa autonomia para lá dos 400km - a questão é que a bateria é exactamente a mesma.

Se por um lado se pode entender o desejo (necessidade?) da Tesla facturar o mais possível, por outro lado entra-se num campo perigoso... Já imaginaram o que seria esta mesma fórmula aplicada aos smartphones ou televisores? Poderíamos ter smartphones com autonomia para 8h, mas seríamos convidados a pagar mais uns euros para desbloquear o acesso à capacidade total; ou então veríamos surgir uma caixa a pedir para pagar mais uns euros para se poder ter acesso ao desempenho total do CPU enquanto se jogasse um jogo mais exigente; ou então ainda, que tal um televisor que só permitisse sintonizar 5 canais, mas que por apenas mais alguns euros já deixaria sintonizar umas dezenas (para não se entrar em campos ainda mais ridículos, de pagar mais para ter acesso a uma gama de cores alargada... entre outras potencialidades em que nem quero entrar para não dar ideias a ninguém!)


Parece-me fácil prever o que opções como estas irão incentivar: um mercado paralelo de "desbloqueios" não oficiais, que muito apreciará o dinheiro que irá ganhar à custa destas coisas. Se actualmente já temos empresas especializadas em mudar/afinar o firmware dos carros de forma a aumentar a sua potência, não é difícil imaginar que depressa se adaptariam a desbloquear todo o tipo de funcionalidades que pudessem estar presentes (já o fazem para muitos veículos). Em segundo lugar, acaba por ser mais um motivo que irá começar a pesar contra a aquisição de um carro próprio. Se começamos a seguir num sentido em que a compra de carro própria acaba por ser um aluguer constante, para muitos casos mais sentido fará passar a usar serviços estilo Uber com frotas de carros autónomos - em que pagamos só pelo transporte e se dispensa o pesado investimento da aquisição do veículo.

Será certamente esse o objectivo final... mas seria simpático que não se tivesse que chegar lá à custa deste tipo de tácticas...

6 comentários:

  1. Seria justo que os proprietários dos Teslas que decidam não "aumentar" a capacidade das baterias começassem a receber uma renda por transportar peso extra que é propriedade da Tesla e da qual eles não fazem uso.

    ResponderEliminar
  2. Eu entendo que possa ser um pouco assustador o valor cobrado por funções que em rigor já temos em nosso poder mas não podemos utilizar. É mais ou menos como pagar para ter aulas de latim, "são só linhas de código" que estão em falta. Na verdade para o consumidor não tem de haver problema, porque se ao produtor/retalhista se poupa em duplicação, gestão de stocks e fabrico de elementos, também isso dá margem para que a diferença entre gamas possa ser monetariamente atenuada. A concorrência é que irá ditar, e como é evidente, essas funções a ser claramente apresentadas aos clientes podem ser introduzidas na equação do custo. Se eu tiver um processador com um terço dos núcleos bloqueados por software ou o mesmo aplicado a um automóvel, somo o preço ao custo acrescido da função desejada e comparo com outros produtos no mercado. Se não tiver interesse nisso comparo o produto com as características base que me interessam com outros e so on and so on...

    ResponderEliminar
  3. É cada ideia que a Tesla tem , será que assim a Tesla começará a dar lucro ? Alguém percebe o sucesso de uma empresa que não dá lucro ? Será um isto uma especie de um banco falido que ninguém ainda deu conta ? Toda a comunicação social fala deste sucesso das encomendas do proximo modelo mas será que a Tesla conseguirá entregar os carros electricos a tempo e horas aos norte americanos porque aqui na Europa é apenas uma miragem. Se calhar a Tesla ainda não percebeu que as marcas europeias já têm a tecnologia electrica pronta para lançar nos seus carros oferecendo autonomia igual . Neste momento a Nissan , Renault , Mercedes trabalham juntamente com a Samsung para lançar já em 2017 as versões electricas dos modelos actuais com preços ao nivel da Tesla . A BMW e grupo VW lançaram também versões electricas com bastante autonomia . Quando a Tesla chegar á Europa já o mercado dos carros electricos está na mão de outras marcas .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas fez o mercado mexer, olhemos como exemplo a Apple, não inventou os smartphones, não faz os melhores smartphones, no entanto mexeu e de que maneira no mercado, o mesmo se está a passar com a Tesla

      Eliminar
    2. a Apple dá lucro não tem nada a ver com o que se passa com a Tesla coisas completamente diferentes. Acredito que a Tesla poderá dar lucro mas quando e como ?

      Eliminar
    3. Mas a Tesla já teve lucros, embora apenas num trimestre, mas quantas outras marcas de automóveis não andam há anos a ter prejuízos?

      Eliminar

[pub]