2016/06/29

Streaming de vídeo continua a aumentar e a ganhar assinantes até na China


Demorou, mas bastou apenas uma década para que o vídeo na internet passasse de algo que alguns consideravam como sendo impossível para algo que demonstra que será este o futuro da "TV".

Lembram-se de quando o YouTube era um site que nos apresentava vídeos pixelizados de baixa qualidade, e muitos duvidavam de que viria a ter sucesso (não vamos recuar até aos tempos do RealPlayer, que senão entramos na verdadeira pré-história da Internet)? Actualmente o YouTube não só nos permite ver vídeo Full HD, como também videos Ultra HD 4K, vídeos 3D, videos panorâmicos a 360º, e até vídeos a 60fps.

Aliás, dá-se o caso caricato de, quem comprar um televisor Ultra HD ter que recorrer ao YouTube (ou Netflix) para poder ver conteúdos nessa resolução - demonstrando bem como as plataformas online são as únicas capazes de acompanhar a rápida evolução que tem havido. Se Netflix e YouTube são os grandes casos de sucesso no video online, também a Amazon tem feito enormes avanços, mais que duplicando a taxa de utilização de um ano para o outro.


E, mostrando que se trata de um fenómeno global, até na China - mercado tradicionalmente associado à pirataria - se tem assistido a um aumento significativo do número de subscritores pagos de serviços de streaming de video.

São coisas que não me surpreendem, mas que por outro lado também demonstram que as plataformas de video na internet se estão a tornar nos novos "canais de TV" - isto porque muitos deles (todos?) estão a apostar na produção de conteúdos exclusivos próprios como forma de cativar clientes... e isso coloca os utilizadores perante a perspectiva de terem que pagar múltiplas assinaturas por múltiplos serviços - algo que já acontece nos canais de TV tradicionais, e que bem se dispensaria na transição para a "TV na internet" (procurando novas modalidades de rentabilização desses conteúdos.)





Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]