2016/07/01

Primeiro acidente mortal com um Tesla em piloto automático


Depois de recentemente ter enfrentado várias acusações de acidentes causados pelo modo de piloto automático, dá-se agora um caso mais complicado, de um acidente com um Tesla em piloto automático que causou a morte do condutor.

A Tesla veio relatar o que se passou, dizendo também que o caso está a ser averiguado pelas autoridades competentes. Um condutor seguia no seu Tesla com o piloto automático activado, quando um camião se terá atravessado perpendicularmente na estrada. Por uma conjugação de factores (atrelado branco e um céu bastante luminoso) o sistema não detectou a presença de um obstáculo e nem sequer travou, enfiando-se debaixo do atrelado e fazendo com que parte do pára-brisas sofresse a totalidade da força do impacto.

Curiosamente, é uma situação idêntica à que recentemente também deu bastante que falar, em que um Tesla não detectou a traseira de um camião com carga suspensa, chocando contra ele, embora aqui fosse durante uma manobra de estacionamento a baixa velocidade - enquanto neste novo acidente, as velocidades eram imensamente superiores. Fica no entanto a curiosidade de saber, tecnicamente, o que terá corrido mal: mesmo que a câmara não tivesse condições de visibilidade óptimas, não deveria o radar detectar tal obstáculo?


A Tesla faz questão de referir que esta é a primeira fatalidade em mais de 130 milhões de milhas percorridas em modo de piloto automático, número estatisticamente inferior à das vítimas em em veículos com condutores humanos - mas é mais que óbvio que não faltarão marcas a aproveitar-se deste incidente como forma de comprovarem as acusações que têm feito ao sistema de piloto automático da Tesla, no sentido em que dá uma falsa sensação de segurança aos condutores, podendo potenciar situações como esta, em que o carro nem sequer viu um camião que estava atravessado na estrada. (Do lado oposto poderemos argumentar que, se o camião também estivesse a ser controlado "sem condutor", não se teria atravessado na estrada desta forma.)

Embora seja sempre trágico, tendo em conta a quantidade de anormalidades que alguns condutores têm feito com base na confiança no modo de piloto automático, quase que nos dá vontade de perguntar: ainda só morreu uma pessoa?

Actualização: já foram reveladas fotos e a indicação de que o automóvel seguia em excesso de velocidade, a 74mph numa zona de 65mph (cerca de 120km/h numa zona de 105km/h).





P.S. Tragicamente, a vitima mortal deste acidente tinha, apenas semanas antes, publicado no YouTube um vídeo do piloto-automático a evitar um acidente.

6 comentários:

  1. Não foi só o céu claro, o fato de ser um atrelado alto para o radar era um sinal de transito daqueles que estão sobre as estradas.

    Tesla CEO Elon Musk said that the vehicle's radar didn't help in this case because it "tunes out what looks like an overhead road sign to avoid false braking events."

    Mas aqui a culpa é totalmente do condutor porque não devia estar com um sistema daqueles ligado numa estrada que não tem separador central e devia estar mesmo assim atento à estrada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diogo, isto pode parecer uma picuíce, mas como escrevo conforme o Acordo Ortográfico de 1990, não consegui evitar de reparar que escreveu "fato" onde certamente pretenderia ter escrito "facto", certo?
      (Essa palavra não é alterada para quem verbaliza o 'C' antes do 'T'.)

      Eliminar
    2. Vitor nem acredito que tenhas perdido tempo para fazeres de corretor ortográfico :P ;)

      Eliminar
    3. Nada contra Diogo! Só mesmo para auxiliar a esclarecer numa questão que tem sido debatida por parte dos 'críticos' ao acordo.
      É que aqui há umas semanas circulou a célebre imagem carregadinha de veneno a criticar a alteração (inexistente) às palavras "facto" e "cágado". ;)

      Sobre o tempo gasto: é sempre útil quando alguém pode ficar um pouco mais esclarecido. No teu caso, pode ter sido um erro de digitação (que é diferente de errar a ortografia) mas pronto, lá ficou aqui num blogue do BlogSpot este 'carimbo' que algures, alguém, num futuro muito distante poderá (ou não) vir a desenterrar... :p

      Eliminar
  2. Este acidente é muito infeliz mas para mim é uma consequência da atitude da Tesla.
    Estes sistemas de condução autónoma não devem ser marketed como sendo sistemas de piloto automático quando exigem que quem se sente no lugar do condutor tenha que estar atento á estrada.
    A Tesla nunca devia disponibilizar a todos os condutores do Model S um sistema que para todos os efeitos está em fase Beta e ainda para cima chamando-o de AutoPilot. Depois geram hype sobre isto completamente irrealista e admirem-se que existam utilizadores que se metem em acidentes destes.

    Mais precaução na introdução desta feature era essencial e os construtores automóveis sabem disso muito bem. A Tesla como tem uma filosofia de empresa de tecnologia para o bem e para o mal, não percebeu isso.

    Se nem os pilotos automáticos dos aviões façam com que a presença de pilotos humanos seja desnecessária, quanto mais em carros que têm que ter em consderação muitos mais objectos circundantes nas estradas.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar

[pub]