2016/08/19

EUA passam o controlo dos DNS para o ICANN


A Internet é hoje algo importante demais para poder estar sob o controlo (e interesses) de um só país, e depois de décadas de negociações os EUA cedem finalmente o controlo dos DNS ao ICANN.

Todos os dispositivos ligados à internet comunicam usando endereços numéricos (o seu "IP") mas facilmente se percebe que não seria muito prático pedir às pessoas para introduzirem algo como "http://213.30.117.234" sempre que quisessem visitar a página de pesquisa da Google. Daí a existência do DNS, o sistema que permite atribuir nomes mais fáceis de memorizar, e que permite utilizar a internet tal como a conhecemos hoje.

Só que, este é também um elemento crítico e potencialmente vulnerável. Quem controlar o sistema DNS pode, com relativa facilidade, alterar os endereços para onde apontam estes nomes; potencialmente podendo fazer com que, quem escrever "google.com" no seu browsers, vá ser reencaminhado para um endereço IP que não é o legítimo (ou simplesmente bloqueado). Daí que muitos países não estivessem satisfeitos com o facto deste controlo estar sob alçada norte-americana, e que agora irá passar para o ICANN (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers) - embora muitos preferissem que esse controlo tivesse passado para as Nações Unidas, opção que não agradou aos EUA por dar "demasiado controlo" a terceiros.

Para os utilizadores nada irá mudar, podendo continuar a visitar a internet como sempre. Resta agora esperar pelo primeiro caso "polémico" em torno dos DNS, para ver como é que o ICANN irá lidar sob pressão.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]