2016/08/17

TiVo termina o seu serviço "vitalício"


A oferta de serviços "vitalícios" é excelente para atrair clientela, o problema é depois cumprir com o prometido, como agora acontece com a TiVo.

Já sabemos que nada na tecnologia dura para sempre, nem mesmo os serviços vendidos como sendo vitalícios. É isso que agora vai acontecer os clientes que ainda mantinham os seus DVRs TiVo da primeira série (lançados há 16 anos), mas que irão deixar de ser suportados - e que, como qualquer bom hardware dependente da cloud, deixarão de funcionar para efeitos de gravação de novos programas (felizmente, permitirão continuar a aceder aos conteúdos já gravados).

O problema é que alguns destes clientes tinham comprado o serviço vitalício, em que pagavam 300 dólares mas ficavam livres de pagar a mensalidade de cerca de 15 dólares (significando que compensaria ao fim de 20 meses.) Só que, mesmo podendo-se achar que 16 anos de utilização por 300 dólares foram um bom negócio, fica é confirmado que tal como acontecer nos tráfegos "ilimitados", também será preciso nunca confiar nas promessas "vitalícias".

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]