2016/09/15

Europa avança com taxa sobre os links na web


Quando se pensava que o bom senso prevaleceria, eis que os piores receios se materializam, e a União Europeia avança mesmo no sentido de taxar links na web, filtrar conteúdos, e aplicar um controlo sem precedentes no acesso à internet.

A reforma dos direitos de autor é algo que há muito se deseja (necessita), mas com propostas assim (PDF link) o melhor é estar quieto. A tão malfadada taxa sobre os links regressa em força, pretendendo fazer com que qualquer link ou referência a  uma notícia, que apresente um pequeno excerto da mesma (como acontece em praticamente todas as redes sociais da actualidade, ou na apresentação dos resultados num motor de busca) passe a ser pago - subvertendo por completo a princípio básico da web, de que um link direcciona os visitantes para o site em questão, em vez de os "roubar". Mas as coisas não se ficam por aqui...

Enquanto por um lado a UE diz promover o acesso à internet e disponibilização de redes WiFi com acesso aberto, por outro lado já vai fazendo referência de que lojas ou estabelecimentos com redes WiFi para os clientes poderão ser obrigados a registar a identidade dos mesmos antes de lhes fornecer a password de acesso. Ou seja, como se não bastassem já as redes que exigem que os utilizadores façam "like" na página do estabelecimento, preparem-se para ter que preencher formulários de identificação para poderem usar o WiFi de um café ou restaurante...

Ainda há esperança que esta proposta seja afundada perante a pressão dos cidadãos (e dos nossos supostos representantes) pois senão, só nos resta alertar para que os burocratas europeus e aqueles cujos interesses parecem ditar as suas decisões, tenham cuidado com aquilo que desejam... É que já assistimos ao que se passou em Espanha e na Alemanha quando os respectivos governos decidiram avançar com a ideia da taxa nos links, e viram que os resultados não foram propriamente os que esperavam... É bem mais provável que um site que queira cobrar pelos links simplesmente se veja apagado da internet, do que encontre nisso a sua desejada salvação.


P.S. Caso não o tenham feito, podem sempre juntar a vossa voz ao Save the Link.

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. O parlamento europeu cada vez mais faz lembrar a câmara municipal de Braga no tempo do Mesquita, era cada contrato para manter a cadeira de presidente que ainda hoje se luta pela borrada.

    ResponderEliminar
  3. Quanto à internet gratuita em espaços públicos em Portugal já está conseguido à muito, depois da saída da Inglaterra deve ser mais fácil :)

    ResponderEliminar
  4. O próprio facebook proibe o próprio forçar de um Like só para se ter acesso a algo. Mas muitos estabelecimentos comeeciais,mesmo em Portugal ainda o fazem.

    Facebook banned “Like Gates” after 30th of April, 2015. Here’s a brief statement / policy of this change, written by Facebook:
    “You must not incentivize people to use social plugins or to like a Page. This includes offering rewards, or gating apps or app content based on whether or not a person has liked a Page. It remains acceptable to incentivize people to login to your app, checkin at a place or enter a promotion on your app’s Page. To ensure quality connections and help businesses reach the people who matter to them, we want people to like Pages because they want to connect and hear from the business, not because of artificial incentives. We believe this update will benefit people and advertisers alike.”

    ResponderEliminar
  5. O próprio facebook proibe o próprio forçar de um Like só para se ter acesso a algo. Mas muitos estabelecimentos comeeciais,mesmo em Portugal ainda o fazem.

    Facebook banned “Like Gates” after 30th of April, 2015. Here’s a brief statement / policy of this change, written by Facebook:
    “You must not incentivize people to use social plugins or to like a Page. This includes offering rewards, or gating apps or app content based on whether or not a person has liked a Page. It remains acceptable to incentivize people to login to your app, checkin at a place or enter a promotion on your app’s Page. To ensure quality connections and help businesses reach the people who matter to them, we want people to like Pages because they want to connect and hear from the business, not because of artificial incentives. We believe this update will benefit people and advertisers alike.”

    ResponderEliminar

[pub]