2016/10/03

Firefox pode vir a usar plugins do Chrome para reduzir custos


A Mozilla está a equacionar a possibilidade de recorrer a alguns plugins do Chrome, como o Pepper Flash e PDFium, aproveitando-os para o Firefox como forma de reduzir os custos.

O Firefox pode ser um excelente browsers mas, tal como todos os outros, tem sido incapaz de fazer frente ao domínio do Chrome da Google. Se entre 2008 e 2010, o seu período de glória, o Firefox obtinha cerca de um terço da quota de mercado nos browsers, desde então as coisas têm sido muito mais complicadas, situando-se agora perto dos 10% e até já tendo sido ultrapassado pelo Safari (há que referir, no entanto, que também os outros browsers estão nesse mesmo patamar).

A Mozilla vai por isso equacionando alternativas sobre como manter o projecto viável, anunciando o Project Mortar, que tentará aproveitar plugins já existentes do Chrome para o Firefox e assim evitando o desenvolvimento das suas próprias soluções; com os primeiros candidatos a serem o Pepper Flash (a implementação Flash feita pela Google e que dispensa o Flash da Adobe) e o PDFium, que permite a visualização de PDFs no Chrome.


A medida não é vista com bons olhos por todos, e não faltam aqueles que criticam o facto de, por exemplo, o PDFium ser "pior" que o PDF.js que o Firefox utiliza actualmente. Só que a Mozilla é bastante pragmática neste ponto, relembrando que no caso do PDFium é a Google que paga as contas e que mantém o projecto - e que, chegando ao ponto de se ter que cortar nos custos, seria inevitável considerar a utilização de um produto inferior, mas gratuito, do que não utilizada nada (e referindo que o projecto PDF.js poderia continuar a existir, desde que houvesse interessados que o mantivessem.)

Tendo sido um utilizador (e fã) do Firefox durante muitos anos, não posso deixar de ficar um pouco triste com este tipo de notícias... mas a verdade é que contra factos não há argumentos e, no final do dia, todos têm contas para pagar e não podem viver "do ar". Entre ver o Firefox a desaparecer, ou começar a recorrer a componentes do Chrome, acho que nem há escolha possível... é aproveitar da melhor forma aquilo que for possível aproveitar, e focar os recursos existentes na criação das coisas diferenciadoras que o distinguem dos demais browsers.

4 comentários:

  1. Uma pena, para mim está a anos luz (à frente) dos outros browsers!

    ResponderEliminar
  2. Para ti pode te parecer, mas na realidade o Chrome está milhares anos luz dos seus concorrentes com todo o desenvolvimento que tem feito no Chrome, que tem sido uma verdadeira revolução na forma de se navegar na internet.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu uso o Firefox, mas reconheço que alguns vídeos só consigo ver no Chrome.

      Eliminar
  3. E o Chrome ajuda a vender computadores... ou melhor Dimms de memoria RAM ;)

    ResponderEliminar

[pub]