2016/10/07

Oculus Rift já funciona em PCs de 500 euros


O custo de entrada no mundo VR é bastante elevado, e grande parte disso não é o custo dos óculos em si mas sim do PC necessário para gerar imagens 3D a 90fps na resolução pretendia. Mas agora, graças a uma nova técnica, a Oculus corta os requisitos de hardware, permitindo uma experiência aceitável em computadores de 500 euros (metade do que era inicialmente recomendado.)

Para além dos Rift, a Oculus recomendava a utilização de um PC com um Intel i5-4590 e gráfica GTX 970 como sendo o mínimo dos mínimos. Mas graças ao Asynchronous Spacewarp, esses requisitos baixam consideravelmente, para um i3-6100 e GTX 960.

Como é que este "milagre" funciona? Bem, o essencial para uma experiência VR livre de enjoos é a manutenção de uma framerate elevado (90Hz) capaz de reagir imediatamente a todos os movimentos do utilizador. Quando o sistema detecta que o computador é incapaz de gerar imagens a 90fps, o asychronous spacewarp junta-se ao asyncrhonous timewarp para reduzir a carga do CPU/GPU para os 45fps; com os frames em falta para os 90fps a serem produzidos com base na interpolação/previsão dos frames anteriores.

Embora o resultado não substitua o dos 90fps reais, é suficientemente capaz de permitir uma utilização aceitável com requisitos de hardware muito inferior. Embora me pareça que quem vá investir 600 ou 700 euros nuns óculos VR já terá uma máquina à altura com o hardware bem capaz; esta pequena optimização permite que muitas mais pessoas possam considerar a aquisição destes óculos VR, mesmo tendo um PC mais modesto.

1 comentário:

  1. Esta redução dos requesitos tem outro efeito porreiro: torna mais facil usar um portatil numa mochila para usar o rift por exemplo.

    ResponderEliminar

[pub]